Economia

G7 pondera limitar preços de refinados russos

10 janeiro 2023 16:12

maksim safaniuk/getty images

O G7 quer limitar o preço dos produtos petrolíferos refinados vindos da Rússia. Mas limitar os preços dos derivados é uma tarefa mais complicada do que limitar o preço do petróleo

10 janeiro 2023 16:12

O grupo das sete maiores economias do mundo (G7) está a tentar estabelecer dois preços máximos para produtos refinados vindos da Rússia, noticia a “Reuters”.

Este grupo - que inclui Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido - já tinha colocado, em dezembro, um preço máximo de 60 dólares por barril para o petróleo bruto, além do embargo da UE às importações de petróleo russo pelo mar.

Mas a partir de 5 de fevereiro o G7 vai impor também limites de preços para produtos refinados, como o gasóleo, por forma a reduzir ainda mais a receita russa com as exportações de energia e, assim, limitar o financiamento da guerra.

Contudo, segundo a fonte ouvida pela agência de notícias, limitar os preços dos derivados é uma tarefa mais complicada do que limitar o preço do petróleo, porque há muitos derivados de petróleo e o preço depende de onde são comprados, e não de onde são produzidos.

De acordo com a mesma fonte, serão fixados dois preços máximos para refinados russos, um para produtos transacionados com um prémio sobre o crude e outro para produtos transacionados com desconto.