Economia

Taxa de inflação em Espanha cai pelo quinto mês consecutivo em dezembro

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

A taxa de inflação geral em Espanha voltou a reduzir-se em dezembro, de acordo com a estimativa do instituto espanhol de estatística. Porém, a inflação subjacente acelerou e está acima da taxa geral

A taxa de inflação em Espanha caiu em dezembro para os 5,8%, uma queda de um ponto percentual face a novembro, de acordo com a estimativa do instituto de estatística espanhol divulgada esta sexta-feira, 30 de dezembro.

Porém, a inflação subjacente, que mede o aumento dos preços sem as componentes energéticas e de alimentos não-processados pela volatilidade do seu custo, acelerou para os 6,9%, ultrapassando o índice geral e sinalizando uma maior persistência da tendência de subida de preços.

Este é o quinto mês consecutivo em que a inflação geral abranda no país vizinho, depois do pico de 10,8% atingido em julho, um registo em máximos de setembro de 1984. Face a novembro, a queda foi de um ponto percentual face à taxa registada nesse mês, de 6,8%.

Desde novembro do ano passado que a taxa de inflação geral não era tão baixa, mês em que se cifrou nos 5,5%.

A taxa de inflação subjacente, contudo, ultrapassou em dezembro (pela primeira vez desde fevereiro de 2021) a taxa de inflação geral, com a autoridade estatística espanhola a estimar em 6,9% este indicador.

A inflação subjacente, por excluir as componentes de energia e de bens alimentares não-processados, que podem sofrer grandes variações no custo, é o indicador mais seguido pelos economistas por sinalizar a persistência da tendência de subida de preços sem fatores de distorção.

O instituto espanhol de estatística avança que a queda da taxa de inflação geral em dezembro se deve ao menor ritmo de subida dos preços da eletricidade e à maior queda dos preços dos combustíveis do que a registada no mês homólogo.

Mas sublinha que os preços do vestuário e do calçado estão a diminuir a um ritmo menor do que o do mês homólogo, e que os preços dos bens alimentares processados e do tabaco aumentaram em dezembro, todos fatores que contribuem para o aumento da taxa subjacente.

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: piquete@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas