Economia

Inflação: maiores empresas portuguesas aplicam 45 milhões de euros em medidas de apoio

21 dezembro 2022 16:55

Vasco de Mello, presidente do Grupo José de Mello

paulo alexandrino

As associadas da Business Roundtable Portugal despenderam 45 milhões de euros em apoios extraordinários aos trabalhadores e às comunidades para responder à crise inflacionista, anunciam

21 dezembro 2022 16:55

As empresas membros da Associação Business Roundtable Portugal (Associação BRP) dedicaram mais de 45 milhões de euros em apoios extraordinários aos trabalhadores e comunidades locais para mitigar a crise de custo de vida, anunciou a associação esta quarta-feira, 21 de dezembro, em comunicado de imprensa.

Os associados repartiram estes apoios extraordinários - que “acrescem às medidas de responsabilidade social que estas empresas mantêm”, reforça a Associação BRP - em diversas modalidades de apoio.

A maioria do bolo, 83,78%, foi direcionada para apoios financeiros diretos, como bónus. Apoios em espécie ou em géneros, como cabazes alimentares, representaram 15,76%. Já apoios psicossociais, nomeadamente através de ações de bem-estar e saúde mental, significaram 0,46% do total.

Foram beneficiadas ainda 750 instituições através das iniciativas de voluntariado promovidas pelas empresas associadas.

A associação agrega as 42 maiores empresas portuguesas, com uma faturação global na ordem dos 82 mil milhões de euros que empregam mais de 200 mil pessoas no País.

Para cumprir o “seu propósito [de] acelerar o crescimento económico e social de Portugal”, a Associação BRP “está a implementar um conjunto de iniciativas nas áreas da requalificação de pessoas e crescimento das pequenas e médias empresas, ao mesmo tempo que atua na defesa de políticas públicas de qualidade”, anuncia.

“O tecido empresarial, sobretudo as grandes empresas, não ficaram alheias às dificuldades que os portugueses estão a sentir neste momento. Pretendemos mitigar os impactos sobre as nossas equipas e inspirar outras empresas a apoiarem os seus trabalhadores e suas famílias, mas também a restante comunidade, sobretudo aqueles que mais necessitam”, disse Vasco de Mello, presidente da Associação BRP.