Economia

Altice pondera vender centro de dados da Covilhã, avaliado em 200 milhões

Patrick Drahi e Armando Pereira, o acionista português da Altice
Patrick Drahi e Armando Pereira, o acionista português da Altice
rui duarte silva

Inaugurado em 2013, o centro de dados da Covilhã faz parte de um pacote de ativos que Patrick Drahi, o patrão da Altice Portugal, está a ponderar alienar

O centro de dados da Covilhã foi construído pela antiga Portugal Telecom, mas hoje é propriedade da Altice, grupo controlado pelo franco-israelita Patrich Drahi. Segundo a agência de notícias Bloomberg, a Altice está a ponderar vender alguns centro de dados, e o da Covilhã é um deles. O ativo poderá render à empresa cerca de 200 milhões de euros.

A Altice Portugal não confirma a possibilidade de venda do centro de dados, nem faz qualquer comentário. E até ao momento também não foi possível obter uma resposta de Grupo liderado por Patrick Drahi. Recorde-se que, tal como o Expresso noticiou, a Altice equacionou vender a operação portuguesa no ano passado, mas não obteve uma proposta que considerasse adequada.

Em 2013, quando foi inaugurado, a Covilhã tinha o maior centro de dados do país, e era apontado então como um dos maiores do mundo. Em 2018, já na posse da Altice Portugal, foram investidos no centro quatro milhões de euros para concretizar a migração de toda a infraestrutura de suporte ao portal SAPO.

A Bloomberg afirma que a Altice está a testar o interesse de potenciais investidores no portfólio de centros de dados do grupo, nomeadamente em França, junto de investidores institucionais, aproveitando a tendência de venda que se está a verificar no setor. São ativos avaliados em cerca de mil milhões de euros.

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: piquete@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas