Economia

Procura global por crude em 2022 e 2023 volta a ser revista em baixa pela OPEP

14 novembro 2022 14:44

maksim safaniuk/getty images

A OPEP voltou a rever em baixa as suas perspetivas de procura de petróleo para este ano e o próximo, culpando a guerra no Leste europeu e as condições macroeconómicas pela diminuição

14 novembro 2022 14:44

A procura global por crude deverá crescer 2,6% em 2022, uma revisão em baixa face à previsão anterior, anunciou a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) anunciou esta segunda-feira, 14 de novembro. Em 2023, o consumo deverá ficar 100 mil barris por dia abaixo do estimado previamente.

Segundo a Reuters, a procura, em 2022, por petróleo deve subir 2,6%, ou 2,55 milhões de barris por dia, o que significa uma queda de 100 mil barris por dia face à previsão anterior. Este é o quinto corte nas previsões do cartel desde abril, com a guerra na Ucrânia e a degradação das perspetivas económicas a pesarem no consumo.

Em 2023, a OPEP prevê que a procura suba 2,24 milhões de barris por dia, uma revisão em baixa - menos 100 mil barris - face à anterior.

“Os riscos negativos incluem inflação alta, contração da política monetária pelos bancos centrais, dívida soberana alta em várias regiões, mercados de trabalho apertados, e constrangimentos persistentes nas cadeias de abastecimento”, segundo o relatório mensal da OPEP citado pela agência.

A OPEP não reviu em baixa as previsões de crescimento económico para 2023 e disse que havia também potenciais ganhos a serem colhidos no próximo ano, se a guerra terminar, a inflação abrandar, e os bancos centrais mudarem de política.

Segundo o cartel, no primeiro trimestre a procura superou a oferta em 300 mil barris diários. Já a oferta superou a procura no segundo trimestre em 200 mil barris por dia. No terceiro, a diferença foi de 1,1 milhões de barris por dia.

Em outubro, a queda na produção foi superior à anunciada, tendo caído 210 mil barris por dia para os 29,49 milhões de barris, segundo a Reuters.