Economia

Fusion Fuel aponta para o início de 2023 a construção da fábrica de hidrogénio verde da Keme Energy em Sines

6 outubro 2022 12:06

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

Fusão entre a Fusion Fuel e a HL garantiu 70 milhões de dólares à empresa portuguesa e um lugar no Nasdaq

d.r.

A Fusion Fuel estabeleceu um acordo para fornecer a tecnologia que a Keme Energy usará para produzir hidrogénio verde em Sines. A fábrica começará a ser construída no início de 2023, prevê a Fusion Fuel

6 outubro 2022 12:06

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

A Fusion Fuel espera arrancar a construção da fábrica de hidrogénio verde da Keme Energy em Sines no início de 2023, devendo esta unidade industrial entrar na sua operação comercial no segundo semestre do ano, indica a Fusion Fuel em comunicado.

Esta quinta-feira, 6 de outubro, a Fusion Fuel comunicou ao mercado (a empresa portuguesa está cotada no norte-americano Nasdaq) ter fechado o acordo de fornecimento da sua tecnologia de eletrólise com a Keme Energy, depois de as duas empresas terem anunciado em fevereiro que iriam trabalhar juntas.

Em causa está um projeto com um investimento total de 5,2 milhões de euros, que ocupará cinco hectares em Sines, para produzir anualmente 160 toneladas de hidrogénio verde.

Esse projeto será desenvolvido em duas etapas e para a primeira delas a Keme Energy já assegurou um subsídio de 2,4 milhões de euros do POSEUR - Programa Operacional para a Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos.

Essa primeira fase contempla a instalação de uma capacidade de eletrólise de cerca de 1,2 megawatts (MW), com 62 equipamentos Hevo-Solar, a tecnologia desenvolvida pela Fusion Fuel para aproveitar energia solar e usá-la na produção de hidrogénio verde.

Com essa capacidade instalada a unidade da Keme Energy deverá produzir anualmente 77 toneladas de hidrogénio verde, que terá como principal destino clientes na área dos transportes.

A Fusion Fuel conta com mais de três dezenas de projetos de hidrogénio verde em carteira, dos quais 16 para desenvolver em Portugal. Recentemente a empresa assegurou 10 milhões de euros do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para um dos seus investimentos em Sines.