Economia

UGT traça “linha vermelha”: subida dos rendimentos “não pode ser abaixo dos 7%”

23 setembro 2022 9:37

antónio cotrim/ lusa

Líder da estrutura sindical, Mário Mourão, defende o alívio do IRS, nomeadamente nos escalões

23 setembro 2022 9:37

A UGT considera que “a linha vermelha” para a subida dos rendimentos “não pode ser abaixo dos 7%”. “Não podemos fazer nenhum acordo que não valorize os salários e rendimentos dos trabalhadores e das famílias”, refere, em entrevista ao “Diário de Notícias”, o líder da estrutura sindical, Mário Mourão.

Para o dirigente sindical este aumento não tem de ser feito exclusivamente “através dos salários'': “há muitas formas de aumentar os rendimentos dos trabalhadores, por exemplo através da política fiscal”.

Mário Mourão defende o alívio do IRS, nomeadamente nos escalões. “A nossa política fiscal sobre os rendimentos de trabalho é muito pesada”, refere. O secretário-geral da UGT considera que “tem de haver o compromisso dos parceiros sociais, incluindo o Governo, porque é um dos maiores empregadores de Portugal''.