Economia

Boeing paga multa de 200 milhões de dólares por enganar investidores sobre 737 Max

23 setembro 2022 7:47

andy rain/epa

A Boeing vai pagar 200 milhões de dólares para acabar com o processo em que é acusada de enganar investidores em relação a dois acidentes mortais com o modelo 737 Max da empresa

23 setembro 2022 7:47

A fabricante de aviões Boeing e o seu antigo presidente executivo (CEO), Dennis Muilenburg, concordaram em pagar milhões de dólares para acabar com o processo em que é acusada de enganar investidores em relação a dois acidentes mortais com o modelo 737 Max da empresa.

Segundo escreve o “Financial Times”, a Boeing concordou em pagar uma multa de 200 milhões de dólares para pôr um ponto final nas alegações da Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC - Securities and Exchange Commission), enquanto Muilenburg pagará um milhão de dólares. A Boeing e Muilenburg não admitiram nem negaram as descobertas da SEC.

Em causa estão dois acidentes ocorridos em 2018 e 2019 na costa da Indonésia e na Etiópia. Juntos, os acidentes mataram 346 pessoas.

Na altura, a causa foi atribuída a um sistema de controlo do voo que empurrava o avião para baixo. Mais tarde, descobriu-se que a Boeing enganou reguladores e pilotos sobre o novo sistema, ao tentar obter a aprovação da Administração Federal de Aviação sem ativar novas medidas.

“Em tempos de crise e tragédia, é especialmente importante que empresas cotadas e os executivos forneçam divulgações completas, justas e verdadeiras aos mercados”, disse Gary Gensler, presidente da SEC. “A Boeing Company e o seu antigo CEO, Dennis Muilenburg, falharam nessa obrigação mais básica”.

Citando um comunicado da fabricante aeroespacial de 2018, a SEC disse que não se tratava apenas de uma “atualização de software” e que deveriam ter sido públicas, nessa nota, o relatório indonésio, onde se destacou o erro do piloto e a manutenção deficiente do avião.