Economia

Impresa passa a designar dois vice-presidentes e António Horta Osório é um deles

20 setembro 2022 17:48

tiago miranda

Os acionistas da Impresa aprovaram esta terça-feira a alteração do artigo 14.º dos estatutos que permite designar dois vice-presidentes

20 setembro 2022 17:48

Os acionistas da Impresa aprovaram esta terça-feira, 20 de setembro, a alteração do artigo 14.º dos estatutos que permite designar dois vice-presidentes, sendo António Horta Osório um deles, depois de ter entrado como administrador não executivo em julho.

A reunião magna extraordinária, convocada pelo Conselho de Administração (CA), tinha dois pontos na ordem de trabalhos, entre os quais a alteração do artigo que permite que Horta Osório passe a ter o cargo de vice-presidente da dona da SIC.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Impresa adianta que "foi ratificada a cooptação de António Mota de Sousa Horta Osório e a sua designação para exercer o cargo de vogal do Conselho de Administração até ao final do mandato em curso".

Além disso, foi aprovada "a alteração da redação do número 1, inclusão de um novo número 2, renumeração dos anteriores números 2, 3 e 4 e alteração do número 5 (anterior número 4) do artigo 14.º dos estatutos da sociedade".

Em 28 de julho, a Impresa anunciou que António Horta Osório era o novo administrador não executivo do grupo, na sequência da renúncia ao cargo de João Nuno Lopes, tendo o Conselho de Administração anunciado a intenção de designá-lo vice-presidente, a par de Francisco Maria Balsemão, que já exerce essas funções.

O novo número dois do artigo 14.º apresenta agora a seguinte redação: "Serão ainda designados dois vice-presidentes de entre os membros do Conselho de Administração, podendo a designação de qualquer um deles ser feita pela assembleia-geral que eleger o Conselho de Administração ou pelo próprio Conselho de Administração".

Assim, aos vice-presidentes do grupo Impresa "competirá, para além dos poderes que lhe forem atribuídos, substituir o presidente nas suas faltas e impedimentos, pela ordem de designação ou por outra ordem que o Conselho de Administração venha a definir", de acordo com a redação do novo número cinco.

A Impresa registou prejuízos de 2,2 milhões de euros no primeiro semestre, o que compara com lucros de 3,3 milhões de euros em igual período de 2021.