Economia

Wall Street fecha em alta depois de semana de pesadelo e na expectativa da Fed

19 setembro 2022 23:36

spencer platt/getty images

Subida desta segunda-feira foi atribuída a razões técnicas e à caça de ações baratas, depois de uma semana de pesadelo em Wall Street

19 setembro 2022 23:36

A bolsa nova-iorquina encerrou esta segunda-feira em alta, enquanto os investidores aguardam a decisão da Reserva Federal (Fed) sobre a sua taxa de juro de referência, aguardada para quarta-feira.

Os resultados definitivos da sessão indicam que o índice seletivo Dow Jones Industrial Average ganhou 0,64%, para os 31.019,68 pontos, o alargado S&P500 avançou 0,69%, para as 3.899,89 unidades, e o tecnológico Nasdaq valorizou 0,76%, para as 11.535,02.

A subida de hoje foi atribuída a razões técnicas e à caça de ações baratas, depois de uma semana de pesadelo em Wall Street. Depois de abrirem em baixa, os índices passaram a evoluir em torno do equilíbrio e acabaram em alta. “Hoje, foi a caça aos bons negócios”, sintetizou Andy Kapyrin, da Regent Atlantic.

Com efeito, as locomotivas do Nasdaq acabaram todas em terreno positivo, depois de terem sofrido nos últimos dias, casos de Apple (+2,51%), Meta (+1,18%) ou Nvidia (+1,39%).

Para os analistas da Briefing.com, os índices também beneficiaram de uma recuperação técnica, com o S&P500 a inverter a sua evolução depois de ser ter aproximado do seu valor de sexta-feira, que correspondeu a um mínimo de mais de dois meses.

Os investidores estão com a atenção focada em Washington, onde vai começar na terça-feira a reunião do comité de política monetária da Fed (FOMC, na sigla em Inglês), que deve conduzir a uma nova subida da taxa de juro de referência em 75 pontos-base (três quartos de ponto percentual), segundo as expectativas dos economistas.

“Os títulos caíram de tal maneira, há tão poucos investidores otimistas com as ações, que não muito espaço para más surpresas” por parte da Fed e uma reação negativa dos operadores, estimou Andy Kapyrin.

Neste contexto, convém privilegiar as ações de empresas estáveis, com dividendos fortes, avançou, dando como exemplo Altria (+1,47% lundi), Dow (+0,69%) e JPMorgan Chase (+0,92%).

O dia também foi marcado Poe uma nova subida dos rendimentos propiciados pelas obrigações do Tesouro, em alinhamento com o discurso agressivo da Fed.

O rendimento dos títulos da dívida pública a 10 anos atingiu mesmo os 3,51%, algo inédito desde há mais de 11 anos.

Já o rendimento dos títulos a dois anos, considerados mais sensíveis às antecipações dos investidores quanto à política monetária da Fed, subiu para os 3,96%, um nível nunca alcançado desde há mais de 15 anos.

“Passámos rapidamente de um ambiente no qual os investidores não pareciam dar atenção ao que a Fed dizia”, para “uma reação apropriada”, opinou Bill Merz, do US Bank Wealth Management.

Para este analista, mais do que à subida da taxa de juro de referência, os investidores vão estar muito atentos às previsões económicas da Fed bem como às relativas às taxas de juro no médio prazo que os seus membros venham a formular.