Economia

Número de edifícios licenciados no segundo trimestre recua 7,9% e o de concluídos 4,9%

13 setembro 2022 11:56

getty images

Foram 6,2 mil os edifícios licenciados em Portugal no segundo trimestre, segundo o INE. Menos 7,9% face ao período homólogo mas mais 2,9% face ao segundo trimestre de 2019, antes da pandemia

13 setembro 2022 11:56

O número de edifícios licenciados em Portugal diminuiu 7,9%, para 6,2 mil, e o de edifícios concluídos recuou 4,9%, para 3,6 mil, no segundo trimestre deste ano face ao período homólogo do ano anterior, informou esta terça-feira, 13 de setembro, o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o INE, os 6,2 mil edifícios licenciados entre abril e junho traduzem um decréscimo homólogo de 7,9%, mas uma subida de 2,9% face aos edifícios licenciados no segundo trimestre de 2019, pré-pandemia.

Os edifícios licenciados em construções novas diminuíram 6,7% (+5,3% no primeiro trimestre de 2022), correspondendo a um crescimento de 9,9% face ao segundo trimestre de 2019, enquanto o licenciamento para reabilitação diminuiu 9,5% (-8,6% no primeiro trimestre de 2022), correspondendo a um decréscimo de 14,8% relativamente ao segundo trimestre de 2019.

“Do total de edifícios licenciados, 75,5% destinaram-se a construções novas e, destes, 80,7% tiveram como finalidade a habitação familiar. Os edifícios licenciados para demolição (354 edifícios) corresponderam a 5,7% do total de edifícios licenciados no segundo trimestre de 2022”, detalha o INE.

A Região Autónoma da Madeira e o Alentejo apresentaram variações homólogas positivas no número total de edifícios licenciados (+39,8% e +4,8%, respetivamente). Em todas as restantes regiões foram observadas variações homólogas negativas, destacando-se a Região Autónoma dos Açores, com -18,2%.

De abril a junho, estima-se que tenham sido concluídos 3,6 mil edifícios em Portugal (construções novas, ampliações, alterações e reconstruções), menos 4,9% do que no mesmo período de 2021 (-0,5% no primeiro trimestre de 2022) e mais 7,0% do que no segundo trimestre de 2019.

“Na sua maior parte, os edifícios concluídos corresponderam a construções novas (82,5%), das quais 77,4% tiveram como destino a habitação familiar”, refere o INE.

A Área Metropolitana de Lisboa foi a única região a registar crescimento no número de edifícios concluídos face ao segundo trimestre de 2021 (+1,8%), sendo que em todas as restantes regiões observaram-se decréscimos nesta variável, “mais significativos” no Algarve (-17,3%), na Região Autónoma dos Açores (-15,7%) e na Região Autónoma da Madeira (-13,3%).

Comparativamente com o trimestre anterior, o número de edifícios licenciados decresceu 10,0% (+21,8% no primeiro trimestre de 2022) e o número de edifícios concluídos reduziu-se em 5,8% (-3,1% no primeiro trimestre de 2022).

Segundo o INE, “numa análise mensal, salienta-se o decréscimo de 16,4% no licenciamento de edifícios em maio face a igual período de 2021”, sendo que, “comparando com maio de 2019, o número de edifícios licenciados decresceu 17,4%”.

No acumulado do primeiro semestre de 2022, foram licenciados menos 3,1% dos edifícios do que em igual período de 2021, mas mais 6,3% do que nos primeiros seis meses de 2019.