Economia

Inflação anual na Alemanha volta a acelerar e fixa-se em 7,9% em agosto

13 setembro 2022 18:24

fhm

A Alemanha registou uma taxa de inflação de 7,9% em agosto, superior à de julho (7,5%). Inflação continua a ser pressionada pela energia e pelos alimentos, cujos preços subiram 35,6% e 16,6%, respetivamente

13 setembro 2022 18:24

A inflação na Alemanha atingiu 7,9% em agosto quando comparada com o mesmo mês de 2021, uma nova aceleração depois de ter abrandado em julho (com uma taxa de 7,5%), segundo anunciado esta terça-feira pela agência federal de estatística alemã (Destatis).

Os dados confirmam as previsões feitas há duas semanas.

Esta subida é a maior desde maio, quando foi registado o mesmo valor, naquele que foi o maior de toda a série histórica iniciada em 1991.

“Os aumentos de preços de produtos energéticos e alimentos continuam a ser as principais causas da alta da inflação", diz, citado na nota, o Georg Thiel, presidente do gabinete estatístico.

A subida da inflação deu-se apesar do pacote de medidas de combate à inflação do governo alemão. O presidente nota que essas medidas, nomeadamente os bilhetes de comboio a nove euros e as poupanças nos combustíveis, impediram uma possível subida mais acentuada da taxa de inflação.

Os preços da energia subiram 35,6%, o que compara com um aumento de 35,7% em julho. Já os alimentos registaram um aumento de preços na ordem dos 16,6% a nível homólogo.

Quanto ao índice harmonizado dos preços no consumidor - que permite a comparação entre países europeus - este fixou-se em 8,8%, número superior ao registado no mês anterior (8,4%).