Economia

INE revê em baixa inflação de agosto para os 8,9%

12 setembro 2022 11:07

Foto: Getty Images

O Instituto Nacional de Estatística reviu em baixa a taxa de inflação de agosto para 8,9%, face à estimativa anterior, de 9%

12 setembro 2022 11:07

A taxa de inflação caiu para os 8,9% em agosto, menos de uma décima abaixo da estimativa anterior do Instituto Nacional de Estatística (INE) naquele que é o primeiro abrandamento da subida dos preços desde setembro de 2021.

Depois da estimativa rápida de 31 de agosto, que apontava para uma inflação de 9%, chegam os dados definitivos e com mais detalhes sobre o que mudou nos preços que pagámos em agosto. Segundo o INE, foi graças à queda dos custos da energia - nomeadamente dos combustíveis, que recuperaram os preços pré-invasão da Ucrânia no início do mês - que se deveu o recuo da taxa de inflação face aos 9,1% de julho.

O índice de preços do consumidor (IPC) dos produtos energéticos variou 24% em agosto, abrandando face aos 31,2% de julho.

Porém, a taxa de inflação dos bens alimentares registou um aumento de 15,4% em agosto, face a uma variação homóloga positiva de 13,2% em julho.

E a taxa de inflação subjacente, que exclui as componentes da energia e dos bens alimentares não-transformados, por serem mais voláteis, contrariou a tendência da taxa de inflação geral, acelerando para os 6,5% em agosto face aos 6,2% de julho, o valor mais alto desde março de 1994. O que sugere que apesar as pressões inflacionistas estarem a ser mitigadas na energia, os preços no resto da economia não estão a arrefecer.

O que ficou mais caro, face a julho, foram os restaurantes e hotéis, em plena época turística, e dos bens alimentares e bebidas não alcoólicas, que registaram variações homólogas de 16,3% e 15,3%, respetivamente, acelerando face a variações positivas de 14,8% e 13,9% no mês anterior.

Já os segmentos dos transportes - o que inclui os combustíveis - e habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis - viram a taxa de variação homóloga abrandar para, respetivamente, 10,4% e 14,9%. Em julho, a variação tinha sido de 12,8% e 16,6%.

A variação média da taxa de inflação de agosto aumentou para os 5,3% em agosto, face a 4,7% em julho, já bem acima da variação média anual de 3,7% prevista pelo Governo para o do Orçamento do Estado para este ano.

Já o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC), indicador usado para comparações entre os países da União Europeia, foi de 9,3%, menos 0,1 pontos percentuais face à taxa de julho, acima da taxa da zona euro, de 5,5%.