Economia

BCP dispara 6,6% na bolsa de Lisboa com empurrão do BCE. Galp Energia afunda mais de 2%

8 setembro 2022 17:42

gettyimages

A única cotada do setor da banca foi a que mais valorizou na sessão de quinta-feira do PSI, no dia em que foi anunciado o aumento das taxas de juro pelo BCE

8 setembro 2022 17:42

O PSI fechou a sessão de quinta-feira, 8 de setembro, em alta de 0,47% para os 5965,70 pontos, com sete cotadas em alta, sete em baixa, e a Corticeira Amorim inalterada nos 9,86 euros por ação.

No dia em que o Banco Central Europeu fez o maior aumento de sempre da sua taxa diretora e antecipou mais subidas nas próximas reuniões, a única cotada do setor bancário que restou da onda de falências, resgates e consolidações da década passada, o BCP, disparou 6,61% para fechar nos 0,15 euros.

Foi um grande dia para as ações da banca europeia, com o índice setorial Stoxx Banks a valorizar-se 3,16%, com 20 dos 21 componentes a fechar em alta e com sete a registar valorizações superiores a 5%. O espanhol Bankinter liderou, neste índice europeu, os ganhos, crescendo 6,57%.

A EDP Renováveis beneficiou da queda dos preços do crude, valorizando-se em 2,36% para os 25,18 euros. A EDP cresceu, por sua vez, 0,77% para os 4,96 euros. A Greenvolt apreciou 0,79% para os 8,98 euros.

A cotada mais prejudicada pelos mínimos de vários meses do petróleo nos mercados internacionais, commodity pressionada por uma recessão já muito provável na Europa devido ao aumento das taxas de juro e à grave crise energética, foi a Galp Energia, que perdeu 2,71% para os 10,25 euros.