Economia

G7 acorda avançar para limite ao preço do petróleo russo

2 setembro 2022 15:04

angus mordant

Os ministros das Finanças do G7 anunciaram que será implementado um teto máximo ao preço do petróleo russo. Não foi esclarecida a forma como será operacionalizada esta medida

2 setembro 2022 15:04

Os ministros das Finanças do G7 (o grupo das sete maiores economias do mundo) anunciaram esta sexta-feira, em comunicado, que será implementado um teto máximo ao preço do petróleo russo.

“Confirmamos a nossa intenção política conjunta de finalizar e implementar uma proibição abrangente de serviços que permitam o transporte marítimo de petróleo bruto e produtos petrolíferos de origem russa a nível mundial - a prestação de tais serviços só será permitida se o petróleo e produtos petrolíferos forem adquiridos a um certo preço (”o preço limite") determinado pela vasta coligação de países que adiram e implementem o limite de preços", lê-se no comunicado do grupo.

O objetivo é impedir que a Rússia lucre com a guerra na Ucrânia, uma guerra que abalou os mercados financeiros e energéticos, e “minimizar as repercussões económicas negativas, especialmente nos países de rendimento baixo e médio”.

Esta medida poderá, assim, pressionar ainda mais a economia russa, que já sente o peso das sanções ocidentais. Por exemplo, ainda esta sexta-feira foi noticiado que os bancos russos perderam quase 25 mil milhões de euros na primeira metade do ano.

“Congratulamo-nos com a decisão da União Europeia de explorar com parceiros internacionais formas de conter o aumento dos preços da energia, incluindo a viabilidade da introdução de limites máximos temporários de preços de importação”, lê-se ainda na nota. Ainda assim, os representantes do G7 reconhecem que para tal passar na UE é necessário um consenso entre os 27.

Apesar de anunciarem o teto máximo de preço, o comunicado do G7 não detalha como será feito. Aliás, os próprios membros do G7 apelam aos vários países que “forneçam contributos sobre a conceção do limite de preços” e a forma de implementação da medida. “O limite de preço será comunicado publicamente de forma clara e transparente” posteriormente, indica o G7.

Adicionalmente, o G7 continua a “encorajar os países produtores de petróleo a aumentar a sua produção para diminuir a volatilidade dos mercados energéticos” e, neste contexto, saúdam “as recentes decisões da OPEP no sentido de aumentar a produção no meio de condições de oferta apertadas”.