Economia

Dreammedia prevê faturar 16 milhões de euros e superar os 200 trabalhadores este ano

2 setembro 2022 7:52

d.r.

A Dreammedia, empresa de publicidade exterior, prevê faturar 16 milhões de euros em 2022 ano e superar o número de 200 trabalhadores. Em 2021 faturou 11 milhões de euros

2 setembro 2022 7:52

A empresa de publicidade exterior Dreammedia prevê faturar 16 milhões de euros este ano e superar o número de 200 trabalhadores, disse esta sexta-feira à Lusa o seu presidente executivo, Ricardo Bastos.

"Este ano prevemos um crescimento na casa dos 45 a 50%, o que elevará a nossa faturação para a casa dos 15 ou 16 milhões de euros", disse à Lusa o responsável da empresa sediada em Vila Nova de Gaia, no distrito do Porto.

Ricardo Bastos revelou ainda que a empresa faturou 11 milhões de euros em 2021, e que o seu objetivo é chegar a 2026 na casa dos 40 milhões de euros.

"Todo este movimento que estamos a fazer é para alcançar essa faturação, contratar novas pessoas, novos talentos, novas indústrias", referiu.

O presidente executivo da empresa de publicidade disse ter a "convicção de que ainda este ano a Dreammedia se tornará o maior operador da publicidade exterior em Portugal, com mais de 200 colaboradores".

Atualmente, a empresa conta com cerca de 160 trabalhadores e pretende ser "o maior empregador" da indústria em Portugal, tendo inaugurado na quinta-feira a sua nova sede e centro de operações, nas Arrábida Lake Towers, em Vila Nova de Gaia.

Além da sede, que ocupará cerca de 1.200 metros quadrados na Torre C do complexo (entre o piso térreo e piso oito), a empresa conta com mais de 9.000 metros quadrados de espaços industriais (fábrica e armazéns), tanto na zona de Lisboa como em Vila Nova de Gaia, onde se localiza "todo o braço produtivo" da Dreammedia, segundo Ricardo Bastos.

O responsável acrescentou que os setores produtivos da empresa compreendem a área da metalomecânica e da tecnologia, sendo que, no caso da primeira, é feita "a conceção, arquitetura ou ‘design’ industrial" e "depois todo o processo construtivo" de equipamentos, como por exemplo o mobiliário urbano.

"Obviamente, nós não construímos o equipamento tecnológico em si, o LED. Nós construímos o ‘design', pensamos todo o equipamento, construímos internacionalmente segundo aquilo o que são as nossas especificações técnicas, e em Portugal fazemos toda a assemblagem dos nossos produtos", explicou à Lusa, já sobre a tecnologia.

Já sobre a presença da empresa no exterior, o responsável recordou que a Dreammedia está presente em Moçambique há 10 anos e, atualmente, numa fase ainda "em sigilo", está "a desenvolver dinâmicas numa série de outras partes do globo", especificamente na Europa.

"Já constituímos empresas e temos pessoas a trabalhar, mas neste momento ainda a construir a empresa", revelou, clarificando que ainda não há "operação comercial ativa" nestes casos.

Questionado acerca da atual dinâmica do setor, especialmente no período pós-pandemia de covid-19, Ricardo Bastos afirmou estar a existir "um crescimento muito grande", pois "de janeiro a julho deste ano o mercado do 'outdoor' cresceu 47%" face ao mesmo período do ano passado.

"Está a haver um investimento gigante das marcas, uma aposta permanente naquilo que é a publicidade exterior" em todo o setor, sustentou, referindo que "o mercado está em alta".