Economia

Indústria alemã trava produção com subida dos preços da energia. Governo "alarmado"

31 agosto 2022 18:07

fabian bimmer

É um mundo novo para a indústria alemã. O mundo de gás barato russo “não vai voltar tão cedo, se é que vai voltar", disse o ministro da Economia alemão, Robert Habeck.

31 agosto 2022 18:07

A indústria alemã está a travar a produção devido à subida dos preços da energia, com algumas empresas a interromper a produção na totalidade, noticia o Financial Times esta quarta-feira, 31 de agosto. O ministro da Economia alemão, Robert Habeck, já veio dizer que estas “não são boas notícias” e que esta é uma dinâmica “alarmante”. Falamos do motor económico da Europa.

A diminuição abrupta das importações de gás russo devido à invasão da Ucrânia de fevereiro, e as interrupções não programadas dos gasodutos pela Gazprom - que os governos europeus encaram como manobras de chantagem de Moscovo - estão a provocar graves convulsões na maior economia do Velho Continente.

Porque, disse o ministro, “pode significar que as indústrias em questão não estão apenas a sofrer uma reestruturação mas sim a experienciar uma rutura, uma rutura estrutural, uma que está a acontecer sob enorme pressão (…) onde quer que a energia seja uma parte importante do modelo de negócio, há empresas a passar por enorme angústia". E nenhuma empresa tem estado a salvo, com a crise a afetar firmas de todas as dimensões, acrescentou.

Isto apesar dos esforços de muitos setores de migrarem do gás, que corria abundante e barato da Rússia para a Alemanha até à invasão da Ucrânia a 24 de fevereiro, para outros combustíveis fósseis, como o petróleo e o carvão.

E fez uma previsão de um mundo muito diferente para as empresas alemãs e, por conseguinte, para as perspetivas económicas futuras europeias: a vantagem competitiva nascida do gás barato “não vai voltar tão cedo, se é que vai voltar", vaticinou.