Economia

Sanções ocidentais levam Rússia a ser o terceiro maior mercado para pagamentos em yuan fora da China

19 agosto 2022 10:11

A Rússia tornou-se o terceiro país, fora a China, que mais usa o yuan para pagamentos globais, após as sanções ocidentais. Em fevereiro, quando invadiu a Ucrânia, nem se encontrava na lista

19 agosto 2022 10:11

A Rússia tornou-se o terceiro país, de uma lista de países fora da China, que mais usa o yuan para pagamentos globais, após as sanções ocidentais.

Segundo a Reuters, a Rússia nem estava na lista mensal publicada pela rede SWIFT antes de invadir a Ucrânia em fevereiro, mas os últimos números, divulgados na quinta-feira, mostraram que apenas Hong Kong e o Reino Unido estão à sua frente.

As empresas e os bancos russos estiveram envolvidos em quase 4% dos pagamentos internacionais em yuans em julho, segundo a rede SWIFT, depois de representar 1,42% em junho e 0% em fevereiro.

Hong Kong continua a ser a principal fonte de transações de yuans fora da China continental, com 73,8% do total, seguindo-se o Reino Unido (6,4%)

A agência de notícias escreve que este aumento repentino no uso de yuans suporta os argumentos de que as sanções ocidentais estão a funcionar, retirando a Rússia na totalidade do sistema bancário global com base em dólares americanos. Por outro lado, também torna mais evidente a proximidade entre Moscovo e Pequim.

Os dados mais recentes da SWIFT também confirmaram que o rublo já não está entre as 20 principais moedas globais usadas nos mercados de pagamentos internacionais. Em dezembro, estava em 16º lugar com uma participação de 0,3% em termos de valor de transação, mas entretanto saiu da lista.