Economia

Indústria dos combustíveis fósseis recebeu 9,5 milhões de euros por minuto em 2020

6 outubro 2021 8:53

Relatório do FMI indica que a indústria de combustíveis fósseis recebeu 5,9 biliões de dólares em subsídios no ano passado. Os subsídios que reduzem os preços dos combustíveis representaram 8% do total e as isenções fiscais outros 6%

6 outubro 2021 8:53

A indústria de combustíveis fósseis tem vindo a beneficiar de subsídios de cerca de 11 milhões de dólares por minuto (cerca de 9,48 milhões de euros por minuto), segundo a análise do Fundo Monetário Internacional (FMI), noticiada pelo jornal britânico "The Guardian".

De acordo com o FMI, a produção e a queima de carvão, petróleo e gás foram subsidiadas em 5,9 biliões de dólares (5 biliões de euros) em 2020.

Os subsídios que reduzem os preços dos combustíveis representaram 8% do total e as isenções fiscais outros 6%. Os maiores fatores, segundo a análise, foram deixar de fazer os poluidores pagarem pelas mortes e problemas de saúde causados ​​pela poluição do ar (42%) e pelas ondas de calor e outros impactos do aquecimento global (29%).

Ou seja, estes subsídios estão a acelerar a crise climática. Assim, o FMI considera que definir preços destes combustíveis que refletem o seu custo real reduziria as emissões globais de dióxido de carbono (CO2) em mais de um terço.

Adicionalmente, o fim destes subsídios também evitaria quase um milhão de mortes por ano devido à poluição e encheria os cofres públicos.