Economia

Imobiliário. Património público abandonado ganha nova vida

17 outubro 2020 19:26

Amadeu Araújo

Antiga escola primária de Alquerubim, Albergaria à Velha, propriedade do Ministério da Educação

d.r.

Um grupo de cidadãos liderado pela eurodeputada Maria Manuel Leitão Marques e por académicos da Universidade de Aveiro está a mapear o património público abandonado e a propor novas utilizações, para combater o desleixo nos imóveis do Estado.

17 outubro 2020 19:26

Amadeu Araújo

Centros de saúde, instalações portuárias, palacetes e até uma lota. Estes são alguns dos 36 edifícios públicos abandonados no país e que um grupo de cidadãos está a mapear para propor novas utilizações. Quatro deles já estão ocupados.

“São velhos edifícios, esquecidos e abandonados, alguns em ruínas”, conta Maria Manuel Leitão Marques a eurodeputada de quem partiu a ideia. “São prédios, alguns sem valor patrimonial de que o Estado não precisa para efeitos públicos e que pode vender para contrariar esta ideia de desleixo”, afirma a ex-ministra da Presidência e Modernização Administrativa.