Economia

TAP é a única companhia europeia a receber auxílios de Estado durante a pandemia sob a pressão de uma reestruturação

25 junho 2020 12:05

Susana Frexes

Susana Frexes

correspondente em Bruxelas

A TAP foi a única companhia que até agora foi encaminhada por Bruxelas para um plano de reestruturação

ana brígida

A TAP foi, até ao momento, a única empresa da União Europeia autorizada a receber auxílios de Estado sem que o fundamento seja sobretudo os danos provocados Covid-19, e a única que tem como sentença a prazo uma reestruturação. Decisão considerada "injusta" pelo presidente da companhia. Pedro Nuno Santos assegura que quem decidiu foi Bruxelas

25 junho 2020 12:05

Susana Frexes

Susana Frexes

correspondente em Bruxelas

Da longa lista de auxílios de Estado que desde março tiveram a luz verde Bruxelas, a TAP é a única companhia aérea onde a pandemia, um acontecimento inesperado que obrigou a economia mundial a uma aterragem a fundo, não é apontada como o fundamento que justifica a necessidade de ajuda. A Comissão Europeia deixou claro que a TAP não podia ser integrada no quadro temporário de auxílios, onde está a alemã Lufthansa e a francesa Air France. Excluiu-a alegando que a companhia já estava com dificuldades financeira em dezembro de 2019, a Covid-19 apenas agravou um problema que já existia. A TAP fica também fora de outros enquadramentos mais flexíveis e que não obrigam a uma reestruturação, como irá acontecer com a companhia portuguesa se ao fim de seis meses não pagar um empréstimo que poderá chegar aos 1,2 mil milhões de euros.