Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Elliott quer EDP menos endividada

António Mexia terá tido em 2018 o lucro mais baixo desde que é presidente da EDP

António Pedro Ferreira

Fundo ativista prepara tomada de posição antes de Mexia apresentar atualização da estratégia do grupo

A EDP tem uma boa carteira de negócios, mas está demasiado alavancada em dívida. Ao que o Expresso apurou, esta será uma das mensagens centrais que o fundo ativista Elliott, um dos mais recentes acionistas da EDP, irá enviar nas próximas semanas ao conselho de administração da elétrica.

O fundo Elliott anunciou em outubro a aquisição de 2,3% do capital da EDP. Este polémico investidor tem permanecido silencioso, mas uma delegação do hedge fund criado pelo norte-americano Paul Elliott Singer esteve esta semana em Lisboa para tomar o pulso ao contexto político e regulatório em que a EDP opera, antes de assumir uma posição pública sobre a elétrica. Essa tomada de posição deverá acontecer ainda antes de 12 de março, quando a elétrica apresentará as contas de 2018 e a atualização da sua estratégia.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. Pode usar a app do Expresso - iOS e Android - para descarregar as edições para leitura offline)