Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Estas bolachas estão “a viver uma revolução”

Indústria. Vieira de Castro chegou aos 75 anos e está a investir €12 milhões, projetando uma nova fábrica nos próximos cinco anos

O aroma adocicado que se espalha pela rua não engana. Ali fazem-se bolachas. E fazem-se também amêndoas e rebuçados. São três fábricas, com uma área coberta de 42 mil metros quadrados. Produzem 16.600 toneladas por ano, em Famalicão, e estão prontas para crescer, num investimento de €12 milhões.

“Já temos projetada mais uma fábrica, dedicada às bolachas, para os próximos cinco anos. Fomos adquirindo terrenos à volta, para garantir a possibilidade de expansão, e temos tudo licenciado”, diz Ana Raquel Vieira de Castro, neta do fundador da empresa Vieira de Castro, onde tem o pelouro do marketing e vendas.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. Pode usar a app do Expresso - iOS e Android - para descarregar as edições para leitura offline)