Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

A nova vida do hotel da família Ramirez

Tiago Paula de Carvalho

O velho hotel dos produtores de atum em Vila Real de Santo António foi reconvertido no luxuoso Grand House após investimentos de €6 milhões

Foram precisos dois anos e meio de obras intensas para reabilitar o velho Hotel Guadiana, que a família ligada ao atum Ramirez abriu em 1926 em Vila Real de Santo António. Há mais de 10 anos encerrado e em estado decadente, foi adquirido em hasta pública movida pela câmara, tendo os novos proprietários investido ali €6 milhões, transformando-o no luxuoso Hotel Grand House.
“O edifício estava completamente degradado, e num estado muito triste”, conta Luís Fernandes, CEO do Grand House e um dos investidores que avançaram para a compra do hotel. “Juntámos um grupo de amigos para criar um hotel e pegar numa peça que estava esquecida. Vila Real de Santo António tem uma arquitetura pombalina muito característica, e o hotel é uma parte importante dessa história”.

Recriar o estilo dos anos 20

O hotel reabriu no verão passado já todo recuperado, e segundo Luís Fernandes o projeto demorou cerca de cinco anos a concretizar-se, incluindo processos de licenciamento e obras de reabilitação.
“Conservámos tudo o que pudemos conservar, como a fachada e a escadaria, a nossa preocupação foi não destruir esse património”, salienta o proprietário, enfatizando ainda que “foi um projeto feito com muita paixão e amor, e também no objetivo de preservar a nossa cultura e de trazer mais qualidade a Portugal”. O nome Grand House foi uma opção dos investidores, para quem “um hotel tem de ter alma, os hóspedes devem sentir-se em casa, e esta é de facto uma grande casa”.
Também a nível da decoração o Grand House procurou recriar o ambiente art déco dos anos 20, numa homenagem aos tempos em que foi lançado pela família Ramirez, detentora das conserveiras de peixe mais antigas do mundo. “O hotel tem uma história muito romântica e a família Ramirez foi pioneira ao fazer esta peça em 1926, e que foi o primeiro hotel da região”, nota o proprietário, enfatizando que “a decoração atual ficou com um toque daquela época”.
O Grand House integra três espaços distintos: o antigo Hotel Guadiana (cujo nome vem do facto de se localizar em frente ao rio Guadiana), a Casa da Alfândega (que vai ser inaugurada depois do verão), além do Beach Club na Ponta da Areia.
O hotel de cinco estrelas em Vila Real de Santo António conta com 31 quartos, dos quais 15 duplos, e três suites júnior. Os preços das diárias praticados em época baixa variam entre €150 e €200, atingindo €400 na época alta. “É um lugar para as pessoas descobrirem um outro Algarve numa série de experiências, como subir o Guadiana até Alcoutim”, refere o empresário.
Na calha, está o objetivo do Grand House em Vila Real de Santo António dar origem a uma marca mais alargada de hotéis, em Portugal e em Espanha. “Gostava de investir em mais hotéis que encaixem no mesmo conceito: ter uma fachada linda e pormenores antigos no interior”, adianta Luís Fernandes. “Restaurar edifícios em Portugal é algo que eu acho muito importante.”