Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Crescimento desce para 1,7% em 2019. Bruxelas mais pessimista do que Centeno

A economia portuguesa vai desacelerar mais do que o ministro das Finanças calculou no Orçamento de Estado para 2019, segundo as previsões de Inverno publicadas pela Comissão Europeia esta quinta-feira

O crescimento da economia portuguesa em 2019 deverá desacelerar para 1,7%, segundo as previsões de Inverno da Comissão Europeia publicadas esta quinta-feira em Bruxelas. Esta previsão é inferior à taxa de 2,2% avançada nos pressupostos do Orçamento de Estado para 2019 apresentado pelo ministro Mário Centeno.

A Comissão procedeu a uma ligeira revisão em baixa em relação à previsão de 1,8% avançada no documento de Outono em novembro. O agravamento do abrandamento global na zona euro, e nomeadamente nos principais clientes de Portugal (Espanha, Alemanha, França), mais do que o previsto em novembro, obriga a este corte na previsão.

No entanto, a revisão em baixa para 2019 em relação ao documento de novembro passado, é de apenas uma décima. Muito inferior às revisões em baixa feitas, agora, para o conjunto da zona euro (de 1,9% para 1,3%), da Alemanha (de 1,8% para 1,1%) e da maioria das 12 economias do euro que vão crescer mais do que Portugal este ano.

O culpado do abrandamento português é a “fraca contribuição das exportações líquidas”, pois o crescimento no consumo privado vai abrandar marginalmente e o investimento até deverá acelerar, suportado pela absorção dos fundos da União Europeia, refere o documento.

Bruxelas é, também, mais pessimista do que Centeno em relação ao crescimento em 2018. O Ministério das Finanças continua a manter uma estimativa de 2,3%, enquanto a Comissão aponta, agora, para 2,1%. O Instituto Nacional de Estatística avança com a sua estimativa a 14 de fevereiro, na próxima semana.