Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Álvaro Santos Pereira: “Se há sector protegido durante muito tempo é o da energia”

"Os lóbis nunca tiveram a minha simpatia. Durante o meu tempo acabou-se com as leis feitas à medida dos lóbis", disse o antigo ministro da Economia na comissão parlamentar de inquérito sobre as rendas da energia

Miguel Prado

Miguel Prado

Jornalista

O antigo ministro da Economia Álvaro Santos Pereira disparou fortes críticas ao sector energético esta quinta-feira, na sua audição na comissão parlamentar de inquérito sobre as rendas da energia. "Se há sector protegido durante muito tempo é o da energia", declarou Santos Pereira na sua intervenção inicial no Parlamento.

"Os lóbis nunca tiveram a minha simpatia. Durante o meu tempo acabou-se com as leis feitas à medida dos lóbis", disse ainda o antigo ministro do Governo de Pedro Passos Coelho.

Santos Pereira disse aos deputados que uma das suas primeiras iniciativas no Governo, em meados de 2011, foi pedir informação ao regulador da energia. Os dados que recebeu eram preocupantes. "Se nada fosse feito a eletricidade aumentaria 30% para as famílias e 50% para as empresas", afirmou.

Numa intervenção em que classificou o ex-secretário de Estado da Energia como "verdadeiramente independente", Álvaro Santos Pereira disse aos deputados que o Governo "não cedeu à chantagem de alguns produtores" quando avançou com várias medidas para cortar as rendas do sector elétrico.

Álvaro Santos Pereira recordou ainda a saída de Henrique Gomes, em março de 2012, enquadrando-a com um conjunto de intervenções públicas do antigo secretário de Estado da Energia que causaram polémica. Mas, assegurou Santos Pereira, a escolha de Artur Trindade como sucessor foi feita mantendo toda a equipa que trabalhava com Henrique Gomes.

"Se antes ninguém tinha cortado um cêntimo aos produtores de energia, nós cortámos 2100 milhões de euros numa primeira fase e 1500 milhões de euros numa segunda fase", salientou ainda Santos Pereira.