Siga-nos

Perfil

Economia

Economia

Armilar lança fundo de €60M para ligar universidades às empresas

Joaquim Sérvulo Rodrigues, CEO da Armilar Venture Partners

Nuno Botelho

O TechTransfer Fund vai apoiar projetos empresariais sustentados por tecnologia desenvolvida no ecossistema académico nacional. Os primeiros investimentos deverão surgir nos próximos dois meses

Catia Mateus

Catia Mateus

Jornalista

A sociedade de capital de risco Armilar Venture Partners, focada em investimentos deep tech (alta tecnologia), lança esta terça-feira um novo fundo de investimento para promover a transferência de tecnologia das universidades para o tecido empresarial. O Armilar Venture Partners TechTransfer Fundo tem uma capitalização total de €60 milhões e conta com o Fundo Europeu de Investimento (FEI) como principal investidor, mas é também apoiado por empresas como a Semapa, através da unidade de capital de risco SemapaNext, ou a KPN Ventures.

O fundo tem como finalidade identificar, investir e ajudar a desenvolver "qualquer tipo de projeto empresarial que tenha por objetivo comercializar tecnologia desenvolvida em contexto académico e de investigação científica ou tecnológica", explica Joaquim Sérvulo Rodrigues, presidente executivo (CEO) da Armilar Venture Partners ao Expresso. São elegíveis, garante, empresas de base tecnológica que operem em diferentes indústrias e que se encontrem em distintos estágios de maturidade, "desde a fase de prova de conceito e early stage, até fases mais avançadas de desenvolvimento comercial".

Inovação universitária na mira dos investidores

Tratando-se de um fundo que visa transferir tecnologia da academia para o mercado e para a economia, são elegíveis 'spinoffs' de universidades ou centros de investigação, startups em programas de incubação ou aceleração ligados a universidades ou centros de investigação, projetos criados por antigos investigadores de instituições académicas, empresas que licenciem propriedade intelectual desenvolvida no meio académico, entre outras.

E os primeiros investimentos poderão ser conhecidos em breve. A Armilar Venture Partners analisou no último ano cerca de 700 projetos gerados em universidades nacionais e internacionais e Joaquim Sérvulo Rodrigues admite que os primeiros investimentos possam ser fechados e conhecidos nos próximos dois meses.

Este é o quinto fundo lançado pela Armilar Venture Capitals que participou com fundos anteriores em empresas como o unicórnio Outsystems, Feedzai ou Codacy. Segundo Joaquim Sérvulo Rodrigues, "o fundo não tem como restrição geográfica Portugal. Trata-se de um fundo europeu que pode investir em projetos tecnológicos desenvolvidos em contexto académico em toda a União Europeia". Contudo, esclarece o líder da entidade gestora do fundo, "70% dos projetos a participar serão portugueses".

€45 milhões já angariados

Do total de €60 milhões que capitalizam este fundo, €45 milhões foram já angariados junto de um grupo de dez investidores internacionais que conta com o FEI como investidor principal, mas que também integra empresas como a Semapa e a KPN, universidades (onde se incluem escolas de engenharia com o Instituto Superior Técnico) e outros empreendedores. O fundo tem agora 12 meses para angariar o restante capital até a um máximo de €60 milhões, mas o CEO da Armilar Ventures acredita que não será necessário tanto tempo para fechar negociações que já estão a decorrer.

"Nos últimos anos temos apoiado grandes empreendedores na construção de negócios promissores, alguns dos quais conseguiram tornar-se os melhores na sua área de atividade a nível mundial", explica o Joaquim Sérvulo Rodrigues reforçando que o TechTransfer Fund surge numa lógica de continuidade ao trabalho desenvolvido pela sociedade de capital de risco nos últimos anos.

Luigi Gilibert, presidente executivo do FEI, recorda que "a transferência tecnológica da academia para as empresas é uma das áreas estratégicas do FEI que é um dos maiores investidores neste segmento de mercado emergente, que exige um conjunto de competências específicas por parte dos gestores". Também a KPN tem um vasto currículo de cooperação com universidades, centros de investigação e investidores tecnológicos. Herman Kienhuis, diretor da KPN Ventures, adianta que a KPN quer, com a sua participação neste fundo, "alargar a sua a abordagem a novas geografias e criar novas oportunidades de cooperação com empresas tecnológicas inovadoras que possam aportar valor aos clientes da KPN".

Nos próximos cinco anos, o Armilar Venture Partners TechTransfer Fund financiará entre 18 a 20 projetos tecnológicos nascidos em universidades ou centros de investigação europeus, mas maioritariamente nacionais.