Diário

“Temo que em breve haja muitas dificuldades em ter professores para dar aulas”

O secretário-geral da Fenprof e o vice-se presidente da Associação de Diretores de Escolas Públicas lançam avisos sobre o estado da Educação. Há mal-estar entre os professores, milhares a reformarem-se antes do tempo e poucos a querem seguir a carreira. E pedem que o próximo Orçamento do Estado garanta o investimento necessário em docentes, funcionários e equipamento escolar

10 dezembro 2019 18:18

Isabel Leiria

Isabel Leiria

texto

Jornalista

“Temo que muito brevemente tenhamos enormes dificuldades em ter professores para dar as aulas e assegurar o funcionamento das escolas”. O aviso é feito por David Sousa, vice-presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (Andaep), perante as manifestações crescentes de “mal-estar” entre o corpo docente que diz sentir nas escolas, o número de reformas que tem superado as próprias estimativas do Ministério da Educação e a pouca atratividade atual da carreira.

O também diretor do Agrupamento de Escolas Frei Gonçalo Azevedo manifestou a preocupação num debate a meias com o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, gravado na redação da SIC e do Expresso a propósito da preparação do Orçamento do Estado e que pode ver AQUI.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler (também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso).

Torne-se assinante