Diário

“Joker” arrasa na estreia

Em Portugal, “Joker” foi exibido em 105 salas e nos primeiros quatro dias de projeções totalizou perto de 150 mil espectadores

dr

O sorriso rasgado, pintado de orelha a orelha, assenta-lhe ironicamente na perfeição. “Joker”, o filme protagonizado por Joaquin Phoenix, bateu no vermelho da “box office” no fim de semana de estreia nas salas de cinema por esse mundo fora. Nos primeiros quatro dias de exibição arrebatou o título da mais proveitosa estreia ocorrida nos meses de outubro, destronando “Venom”, outro herói originalmente nascido nos livros de banda desenhada, que detinha o título desde há um ano, particularmente nos EUA

8 outubro 2019 18:23

Tem definitivamente a sua graça, e faz prova de que um sucesso de bilheteira nem sempre corresponde às fórmulas hollywoodescas mais costumeiras. Poder-se-á dizer que “Joker” evoca um universo mágico, transgeracional, fundado no super-herói Batman; poder-se-á dizer que o Leão de Ouro conseguido no Festival de Cinema de Veneza, onde foi dado a ver pela primeira vez, despertou uma vaga de curiosidade; poder-se-á também dizer que as ovações da crítica ao desempenho de Joaquin Phoenix que já o encarreiram para o Óscar contribuiu para as enchentes nas salas. Dir-se-á que as notícias da mobilização policial a fim de evitar eventuais distúrbios às portas dos cinemas nova-iorquinos na quinta-feira passada, devido à polémica pública sobre o recurso à representação de violência gratuita, terão carreado ainda um maior magnetismo junto dos públicos.

Diga-se o que se disser, “Joker”, um filme carimbado com a classificação “Restricted” (“R-Rated”) pela Motion Picture Association of America – menores de 17 anos só podem assistir acompanhados por um adulto –, arrecadou o titulo de maior de todos nos meses de outubro e a correspondente receita global de 213 milhões de euros. A prequela do anti-herói de Gotham City que ficciona as origens do arquivilão do homem-morcego, nascido nas vinhetas dos “comics” da DC, estreou em 22.522 ecrãs de 77 países. Em Portugal, a première foi exibida em 105 salas e nos primeiros quatro dias de projeções totalizou perto de 150 mil espectadores, de acordo com os resultados da “box office” nacional tornados públicos pelo Instituto do Cinema e do Audiovisual, tendo gerado receitas na casa dos 863,7 mil euros.

Este é um artigo exclusivo. Se é assinante clique AQUI para continuar a ler (também pode usar o código que está na capa da revista E do Expresso).

Torne-se assinante