Diário

A história desconhecida das duas únicas presas políticas que passaram pela cadeia de Peniche

18 abril 2019 18:37

Alexandra Carita

Alexandra Carita

texto

Jornalista

António Pedro Ferreira

António Pedro Ferreira

fotos

Fotojornalista

O Forte de Peniche escondia a história de duas mulheres desde 1942

Mulheres fantasmas e sem rosto desde 1942, Maria de Jesus e Teresa Marques estão contabilizadas nos 2510 presos que no dia 25 de Abril vão ver os seus nomes inscritos na parede do Forte de Peniche. A história, desconhecida até agora, das duas únicas presas políticas que aí estiveram detidas é contada na edição do semanário que chega esta sexta-feira às bancas

18 abril 2019 18:37

Alexandra Carita

Alexandra Carita

texto

Jornalista

António Pedro Ferreira

António Pedro Ferreira

fotos

Fotojornalista

Em 1942, as condições de vida eram as mais duras. Os presos de Peniche eram atirados para uma cela coletiva e sobreviviam à custa de um caráter forte e determinado, sempre pronto a lutar pelo mesmo ideal que os colocara atrás das grades. Assim resistiam, entre castigos e espancamentos. Não havia muita distinção entre eles. Eram os presos políticos do regime de Salazar, aqueles de quem a PIDE tomava conta.

Maria e Teresa, encarceradas na mesma cela, foram as únicas mulheres a passar pela cadeia de Peniche.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. Pode usar a app do Expresso - iOS e Android - para descarregar as edições para leitura offline)