Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

O que é que aconteceu a James Blake? A explicação é tão simples e antiga como o mundo

CRÉDITOS: FACEBOOK DE JAMES BLAKE

Há quem o considerava genial e agora já não, há o oposto disso e ainda mais: quem ainda veja nele o génio que sempre constatou. James Blake lançou um disco novo e está a fragmentar opiniões. O homem apaixonou-se e as canções mudaram

Mariana Lima Cunha

Mariana Lima Cunha

texto

Jornalista

James Blake gostaria de nos avisar de que tem um plano. Este facto, só por si, seria suficiente para nos deixar curiosos: até agora, Blake, DJ londrino dedicado ao dubstep e entretanto convertido em compositor de voz melancólica, aparecia-nos permanentemente angustiado e sobretudo perdido, e era essa precisamente a atração que havia nele. Mas a verdade é que tudo parece ter mudado (com exceção para a voz melancólica). Blake tem umas quantas promessas a fazer e umas quantas resoluções de ano novo a adotar. E a explicação é tão simples e antiga como o mundo: Blake apaixonou-se.

Acontece a todos e a julgar pelas belas canções de amor que nos tem vindo a entregar já lhe teria acontecido a ele, mas não assim. Explicamos o “assim”: Blake percebeu, finalmente, as virtudes do amor calmo, mundano se se lhe quiser chamar assim, as alegrias de chegar a casa no final do dia e ter a pessoa certa à nossa espera, de cozinhar o jantar e discutir porque a sopa está fria e depois porque o chá arrefeceu e continua a não haver acordo sobre o filme que se vai ver. No fim deitamo-nos, os pés aquecem e as mãos entrelaçam-se e nós, aqui representados por Blake, apercebemo-nos de repente: o amor, em vez de ser tudo aquilo que nos ensinaram, é mesmo isto.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito: basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso. Pode usar a app do Expresso - iOS e Android - para descarregar as edições para leitura offline)