Coronavírus

Filipinas reabrem escolas após mais de dois anos de encerramento

22 agosto 2022 9:12

ezra acayan

As Filipinas são um dos últimos países do mundo a reiniciar aulas presenciais a tempo inteiro, interrompidas desde o início da pandemia. O encerramento prolongado das salas de aula levanta receios de um agravamento da situação educativa no país

22 agosto 2022 9:12

Milhões de crianças regressaram esta segunda-feira à escola nas Filipinas, marcando para muitas o recomeço das aulas presenciais, interrompidas desde o início da pandemia.

As Filipinas são um dos últimos países do mundo a reiniciar aulas presenciais a tempo inteiro, com o encerramento prolongado das salas de aula a levantar receios de um agravamento da situação educativa no país, que já se encontra em crise.

Depois do encerramento das escolas filipinas, o Governo criou um programa de "aprendizagem mista", com a utilização de material impresso, bem como cursos difundidos através da televisão e das redes sociais.

Antes da reabertura, as autoridades intensificaram a campanha de vacinação e anunciaram transportes públicos gratuito para todos os estudantes até ao final do ano civil.

No sábado, o Governo atribuiu dinheiro a estudantes e pais para ajudar nas despesas, o que levou a cenas de desordem no exterior dos centros de distribuição.

Com a reabertura das escolas, os problemas do período anterior à pandemia estão a reaparecer, como um elevado número de estudantes, métodos de ensino ultrapassados e falta de infraestruturas essenciais.

Antes da pandemia, nove em cada dez crianças filipinas não eram capazes de "ler e compreender um texto simples", depois dos 10 anos, de acordo com um relatório recente do Banco Mundial e de outras agências.

Apenas dez países estavam em pior situação, incluindo Afeganistão, Laos, Chade e Iémen.