Coronavírus

Covid longa: anomalias nos pulmões podem explicar falta de ar

29 janeiro 2022 17:37

EPA / City of Health of Turin

Estudo piloto identificou danos microscópicos nos pulmões de doentes com covid prolongada, noticia o jornal britânico “Guardian”

29 janeiro 2022 17:37

Um estudo piloto, que envolveu 36 pessoas, identificou anomalias nos pulmões de doentes com covid prolongada, que podem explicar por que motivo algumas continuam a sentir falta de ar muito tempo depois de terem sido infetadas.

A notícia está a ser avançada pelo jornal britânico “Guardian”, que realça que estes resultados levantam a possibilidade de a covid-19 causar danos microscópicos nos pulmões que não são detetados nos testes de rotina.

Este é o primeiro estudo que mostra que a saúde dos pulmões pode ficar afetada com a covid-19. Até à data, sabia-se apenas que a falta de ar é um sintoma comum à maioria dos doentes com covid-19.

De acordo com Emily Fraser, consultora nos hospitais da Universidade de Oxford e coautora do estudo, os resultados “sugerem que o vírus está a causar uma anomalia persistente na microestrutura dos pulmões ou na vasculatura pulmonar”. Ou seja, a eficiência dos pulmões a absorver oxigénio e libertar dióxido de carbono pode ficar prejudicada.

Ainda assim, este é apenas um estudo preliminar, pelo que é necessário esperar pelos resultados finais e aprofundar a investigação sobre o tema, de modo a perceber de que forma as anomalias se relacionam com a falta de ar.