Coronavírus

Covid-19. DGS quer dar até 19 de dezembro dose de reforço à população elegível com mais de 65 anos

12 novembro 2021 12:32

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

manuel de almiada/lusa

Os profissionais de saúde vão começar a receber uma terceira dose da vacina a partir da próxima segunda-feira. Profissionais do sector social e bombeiros envolvidos no transporte de doentes iniciam o mesmo processo a partir de 22 de novembro

12 novembro 2021 12:32

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

Até ao dia 19 de dezembro, será dada uma dose de reforço da vacina da covid-19 a todas as pessoas com idades a partir dos 65 anos que cumpram os requisitos para serem vacinadas. É esse o plano da Direção-Geral da Saúde, conforme anunciado esta sexta-feira, em conferência de imprensa, pelo coronel Carlos Penha-Gonçalves, que coordena a atual campanha de vacinação.

Para cumprir esse objetivo, há vários esforços em curso e outros que ainda vão ser feitos. Também presente na conferência de imprensa desta sexta-feira, em que se procurou fazer um balanço da campanha de vacinação em curso contra a covid-19 e a gripe, António Lacerda Sales, secretário de Estado Adjunto e da Saúde, lembrou que a modalidade “casa aberta” vai estar aberta este fim-de-semana “de norte a sul do país” para as pessoas com mais de 80 anos.

A lista de centros de vacinação abertos está disponível no site da Direção-Geral da Saúde, explicou, admitindo que poderá haver “constrangimentos e esperas”, uma vez que as pessoas podem dirigir-se a esses centros “sem hora marcada”.

O responsável também detalhou que será disponibilizado transporte para as pessoas que não possam deslocar-se pelos seus próprios meios a estes centros de vacinação. É às juntas de freguesia que se deve recorrer caso seja necessário esse apoio.

Profissionais de saúde começam a ser vacinados a partir da próxima semana

Já na próxima semana, referiu também António Lacerda Sales, será dado início ao processo de administração de uma dose de reforço da vacina contra a covid-19 aos profissionais de saúde e, na semana seguinte, de 22 a 27 de novembro, serão vacinados os profissionais do sector social e bombeiros envolvidos no transporte de doentes.

No total, Portugal já administrou um milhão de vacinas contra a gripe e 450 mil doses de reforço contra a covid-19, anunciou o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, sublinhando que a “pandemia não acabou” e que se deve manter “uma atitude preventiva perante o desafio de novas variantes e o aumento de casos na Europa”.

Questionado sobre as notícias que dão conta de “boicotes” por parte de enfermeiros subcontratados dos centros de vacinação, o responsável sublinhou que nenhum dos profissionais de saúde que participaram nas primeiras fases de vacinação foi dispensado e que foram dadas ordens às administrações regionais de saúde (ARS) para contratar todos os profissionais “que forem necessários” para assegurar o processo.

Norma sobre vacinação das pessoas recuperadas vai ser publicada nos “próximos dias”

Também presente na conferência de imprensa, Graça Freitas, diretora-geral da Saúde, anunciou que a norma sobre a vacinação das pessoas recuperadas vai ser publicada “nos próximos dias” e que o sistema informático através do qual estas mesmas pessoas vão ser convocadas para receber a vacina também estará disponível em breve.

Questionada sobre a vacinação dos mais jovens, Graça Freitas sublinhou que as prioridades são avaliadas “todos os dias e a todas as horas” pela comissão técnica e que o objetivo, por agora, é vacinar todas as pessoas com mais de 65 anos contra “duas doenças que podem ser graves no inverno”.

A diretora-geral da Saúde também referiu que o Infarmed já concluiu o processo para a aquisição dos dois medicamentos contra a covid-19 aprovados pela Agência Europeia do Medicamento, o Ronapreve (casirivimab/imdevimab) e o Regkirona (regdanvimab). Quanto aos antivirais que a agência está a avaliar, está em curso um processo, por parte da DGS, no sentido de estimar a quantidade que será necessário adquirir. “A nossa missão é garantir que a população residente em Portugal tenha acesso a esse medicamento ou a essa vacina.”

Correção: o título deste artigo foi alterado às 17h05, no sentido de clarificar que o plano da DGS é vacinar, até à data referida, todas as pessoas com mais de 65 anos que cumpram os critérios para a vacinação, nomeadamente terem recebido as anteriores doses da vacina há pelo menos 180 dias.