Coronavírus

Covid-19. Vacina de Oxford/AstraZeneca aprovada no Reino Unido

30 dezembro 2020 7:44

dado ruvic

Reino Unido antecipa-se à União Europeia e aprova vacina da farmacêutica AstraZeneca e da Universidade de Oxford. Esta é mais barata e mais fácil de armazenar do que a vacina da Pfizer

30 dezembro 2020 7:44

A vacina desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford foi esta quarta-feira aprovada pela entidade reguladora do medicamento do Reino Unido. Além de ser mais barata do que a vacina da Pfizer, esta é também mais fácil de armazenar, já que pode ser guardada por, pelo menos, seis meses em condições normais de refrigeração. Ou seja, com temperaturas entre os 2 e os 8 graus Celsius.

De acordo com a "BBC", o Reino Unido já encomendou 100 milhões de doses, uma quantidade suficiente para vacinar 50 milhões de pessoas.

Pascal Soriot, responsável da AstraZeneca, sublinhou que este é "um dia importante para milhões de pessoas no Reino Unido que vão ter acesso a esta nova vacina", e que "tem demonstrado ser eficaz, bem tolerada, simples de administrar e é fornecida pela AstraZeneca sem qualquer lucro".

A vacina de Oxford recorre também a uma técnica diferente daquela que é utilizada pela Pfizer, a vacina que começou a ser administrada este domingo em Portugal. Aqui é feita uma manipulação genética ao adenovírus, o vírus da gripe dos chimpanzés, juntando depois o gene da proteína "S" do SARS Cov-2, o que vai desencadear na pessoa a quem é administrada a vacina, uma resposta imunológica.

O Reino Unido aprovou a vacina de Oxford antes da União Europeia, sendo esta a segunda a entrar no programa de imunização contra a covid-19, iniciado a 8 de dezembro.

Sobre a questão económica, Marco Krieger, vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), uma das responsáveis pela produção da vacina no Brasil, disse esta semana, em entrevista ao Expresso, que a "vacina será vendida sem qualquer lucro".