Boa Cama Boa Mesa

Ervas daninhas, chá ou legumes da horta? Sete locais para por as mãos na terra

13 outubro 2022 10:09

Apanhar cogumelos na floresta, ervas daninhas no campo ou chá junto ao mar? Conheça seis atividades para descobrir a diversidade e utilidade que se esconde em cada planta, pôr a mão na massa e contribuir para o equilíbrio do planeta, e 60 passeios e iniciativas para SER ao Ar Livre, no guia oferecido esta sexta-feira, 12, com o Expresso.

13 outubro 2022 10:09

Sabia que fica em Vila do Conde a única produção de chá de Portugal Continental? E que, com o conhecimento certo, uma mão-cheia de ervas daninhas pode transformar-se num delicioso e nutritivo pitéu? Num passeio outonal pela floresta, consegue distinguir que cogumelos são bons para levar para casa? A estação é pródiga em alimentos que se podem recolher para o inverno, e convidam a participar na colheita, das ervas aos cogumelos, das azeitonas às castanhas.

A Recoletora

A Recoletora

A Recoletora: Passeios botânicos
Erva-príncipe, bredos, malva, labaça, pervinca. Eis algumas das centenas de palavras que constam no léxico de Fernanda Botelho. Guia de jardins botânicos, com formação em plantas medicinais em Inglaterra, é uma excelente fonte de conhecimento em relação a ervas e flores comestíveis, plantas medicinais, árvores autóctones, além de algas e plantas halófitas. Os passeios são memoráveis e feitos por marcação (Tel. 912183904) ou por associações ecológicas, como A Recoletora ou a Greentrekker. É marcar e passear, para aprender!

Ervas Finas: Comida é biodiversidade
Para Graça Saraiva, formadora da Escola de Hotelaria e Turismo de Lamego e consultora, a sua quinta é um ecossistema com valor alimentar, ou não fossem as ervas, as flores, as raízes, as cascas e os frutos comestíveis. Fundou a Ervas Finas, empresa sediada na aldeia de Fonteita, freguesia de Andrães, no concelho de Vila Real, onde realiza workshops por marcação (Tel. 962822988). As atividades pedagógicas destinam-se a alunos das escolas de hotelaria e turismo, enquanto as ações experienciais são preparadas para chefs de cozinha. E, agora, quais as ervas que melhor harmonizam com queijos ou um vinho?

Cantinho das Aromáticas

Cantinho das Aromáticas

Cantinho das Aromáticas: Fazer o percurso das ervas
Quem visitar os 2,5 hectares do Cantinho das Aromáticas, em Canidelo, Vila Nova de Gaia (Tel. 227710301), tem à espera um “tratado” sensorial e pedagógico. Contacte com mais de 150 espécies de ervas aromáticas, condimentares e medicinais, cultivadas em modo biológico. Percorra os campos de cultivo, jardins, estufas, zonas de secagem e processamento e culmine com uma prova de infusões. Um guia experiente dá a conhecer as muitas histórias das ervas ao longo deste percurso feito de cores e aromas.

Chá Camélia

Chá Camélia

jorge simão

Camélia: Há chá em Vila do Conde
Explore o aromático e perfumado mundo do chá na plantação da Chá Camélia, em Fornelo (Vila do Conde). Visite a plantação nas diferentes estações e conheça uma nova forma de cultivo e produção biológicos de Camellia Sinensis. Percorra o bosque da plantação e experiencie o Banho de Floresta, uma caminhada lenta de atenção (mindfulness) para se conectar com a natureza e consigo próprio. É conduzida por Maria João Pires Rodrigues e culmina com um momento de chá com Nina Gruntkowski (Tel. 932496603).

Casa do Eido da Devesa: Cogumelos, ervas medicinais e compotas
A Casa do Eido da Devesa, em Bárrio, no concelho de Ponte de Lima, é uma caixinha de surpresas! Há workshops de cogumelos silvestres, uma diversidade enorme, que ensina a distinguir os comestíveis dos outros, e de ervas medicinais mostram quão versáteis são estas dádivas da Natureza. Conselhos práticos sobre a confeção de doces, compotas, e licores são outra das sugestões. As duas últimas atividades são realizadas em parceria com a Oficina da Natureza. Recomenda-se a marcação (Tel. 258757467).

Apanha de bivalves na Ria de Aveiro

Apanha de bivalves na Ria de Aveiro

Ria de Aveiro: Pé no lodo e “salta” o linguerão
A mariscadora da Terra d’Água (Tel. 234069879) ensina a fazer saltar o lingueirão na Ria de Aveiro. Entre no lodo e daí a pouco estará a preparar o lume para as “caralhóses”, nome dado a estes bivalves na zona. No interior da Ria percorra o “Salreu”, oito quilómetros a acompanhar o canal e admirar os arrozais, entre juncos e caniçais, avistando a garça-vermelha ou a águia sapeira. As caminhadas são gratuitas, mas há bicicletas e veículos elétricos para alugar. Pode ser guiado por um biólogo da BioRia (Tel. 962774466).

Quinta da Pacheca: Varejada e broa de milho
Em Cambres, Lamego, a Quinta da Pacheca recuperou oliveiras e deu início à produção de azeite. Convida à varejada da azeitona. Broa de milho e azeitonas curadas dão as boas-vindas. Passeie pelo olival e faça a colheita. A prova de azeites serve de aperitivo para o almoço tradicional. Experimente o “Pacheca Azeite Virgem Extra Biológico”. Nota para a nova horta biológica com centenas de espécies, entre flores, frutícolas, ervas aromáticas e leguminosas, o primeiro passo para o “Pacheca Nature”, o compromisso com sustentabilidade e ambiente.

Este texto foi adaptado do Manual SER ao Ar Livre oferecido com a edição do Expresso de 14 de outubro 2022.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!