Boa Cama Boa Mesa

Roteiro por Alenquer, entre vinhos e quintas quinhentistas

28 setembro 2022 9:57

jorge figanier castro

Reza a história que a cultura da vinha neste concelho da Região Oeste remonta à época dos Descobrimentos. Volvidos mais de 500 anos, a produção vínica permanece indissociável a propriedades seculares, que, hoje, apostam na qualidade e tudo fazem com os olhos postos no futuro.

28 setembro 2022 9:57

Pedro Moreira, escanção, conta que, muito do vinho produzido em quintas do concelho de Alenquer era transportado, no século XVII, dentro de cascos, em embarcações, através do rio Alenquer até à antiga várzea, com destino ao ancoradouro, então existente em Vila Nova da Rainha. Era aqui que aquele curso de água convergia com o rio Ota, e ambos desaguavam no Tejo, meio de comunicação usado para que chegasse a Lisboa, mais concretamente Xabregas, ponto de partida da distribuição para tabernas espalhadas pela cidade.

Com a passagem do tempo, mudou o transporte do vinho e, simultaneamente, a forma como é reconhecido pelo público. A qualidade do produto melhorou abismalmente e o zelo é, cada vez mais, indissociável à produção. Colher uvas de cada talhão, de acordo com o ponto de maturação, vinificar casta a casta ou selecionar criteriosamente a madeira utilizada nas barricas são apenas alguns dos exemplos desta grande mudança, e as quintas de Alenquer entram também neste novo capítulo vitivinícola.

West Side Stories

West Side Stories

Comece esta viagem com uma visita personalizada pelo centro da vila de Alenquer, para absorver a narrativa histórica deste lugar. Conheça a igreja e os claustros do Convento de São Francisco, fundado por D. Sancha, filha do reio D. Sancho I, e indissociável à figura da Rainha Santa Isabel. Descubra quem foi o historiador e humanista nascido em Alenquer, no Museu Damião de Góis e das Vítimas do Holocausto. Contemple o interior do edifício da câmara municipal, inaugurada a 2 de janeiro de 1890 e que beneficiou de um projeto de arquitetura pré-existente da sua congénere de Lisboa. Provas de vinhos produzidos no concelho acompanhadas por produtos locais é o complemento perfeito para este passeio. Deixe-se conduzir pelas visitas guiadas, com a West Side Stories (Tel. 969853231), com mais temáticas a explorar!

Convento de São Francisco - Alenquer

Convento de São Francisco - Alenquer

Calcorreia-se a estrada, em direção à Quinta do Monte d’Oiro. Propriedade do século XVII, é comprada em 1986, por José Bento dos Santos. Engenheiro de formação e presidente da Academia Portuguesa de Gastronomia, inicia o seu contributo para o mundo do vinho, com dois hectares de vinha. A primeira edição de Syrah, da colheita de 1997, determinou o impulso desta casa. Desde então, não mais pararam! Hoje, a vinha totaliza 30 hectares e a vista para o monte situado mais a sul continua a seduzir ao final da tarde, graças à luz do solar. Em cada vindima, a apanha da uva é feita separadamente no que a cada parcela diz respeito, mesmo quando se trata da mesma casta. Na adega, o trabalho minucioso é igualmente levado a sério. O estágio de cada vinho tem lugar próprio, uma sala de barricas, onde o silêncio é ouro. Reúna os seus amigos e reserve uma visita à Quinta do Monte d’Oiro (Ventosa, Alenquer. Tel. 263766060), com degustação vínica. A prova base é composta por três vinhos, sendo um deles o Quinta do Monte d’Oiro Reserva tinto, acompanhada por produtos locais e regionais – queijos, enchidos, pão, marmelada e compotas (a partir de €30 por pessoa).

Quinta do Monte d’Oiro

Quinta do Monte d’Oiro

A cerca de uma dezena de quilómetros de distância, fica a Casa Santos Lima. Trata-se de um negócio familiar fundada no final do século XIX, por Joaquim Santos Lima, reconhecido produtor e exportador de vinhos. A grande viragem acontece na década de 1990, quando José Luís Santos Lima Oliveira da Silva, bisneto do fundador, decide modernizar a empresa. A replantação de grande parte das vinhas, a comercialização dos primeiros vinhos engarrafados, em 1996, e a modernização da adega permitiram dar esse passo. A história é contada durante a visita guiada à adega (€10), no âmbito da oferta de enoturismo. Solicite um passeio de buggy (€14) ou de charrete (preço sob consulta), para conhecer a vinha, ou o piquenique (preço sob consulta) nesta paisagem deslumbrante. Termine com uma prova de vinhos (a partir de €6) da Casa Santos Lima (Aldeia Galega da Merceana, Alenquer. Tel. 263760621), cujas atividades estão concentradas na Quinta da Boavista.

Casa Santos Lima

Casa Santos Lima

A próxima paragem é a Quinta de D. Carlos. Esta propriedade fez parte do Morgado dos Cunhas, instituído no século XVI. A aposta nos programas inteiramente vinculados à degustação vínica está para breve, ou não estivéssemos perante um produtor de vinhos que vale a pena conhecer. Para já, está contemplado o aluguer por inteiro da casa (preço sob consulta), datada de 1650 e restaurada em 2004, por D. Frederico da Cunha de Mendonça e Meneses, Marquês de Valada e Conde da Caparica, atual proprietário e representante da 14.ª geração da família. O seu interior prima pela sua singularidade. É o caso da Sala Rothschild, com o seu pavimento constituído por azulejos verdes e azuis da Aleluia Cerâmicas, em Aveiro, e fileiras em pedra mármore, inspirado no chão do Château Lafite Rothschild, em França. Surpreendente é também a Sala da Tapeçaria, onde está uma das cinco tapeçarias, com o brasão da família, mandadas fazer no século XVI. O solar dispõe de dez suites e tem capacidade para 23 pessoas. O pequeno-almoço está contemplado no preço, mas as restantes refeições só são confecionadas mediante pedido prévio. A harmonização é feita com os vinhos produzidos a partir das uvas vindimadas nas vinhas, de 44 hectares, da Quinta de D. Carlos (Meca, Alenquer. Tel. 914909013), onde a Cabernet Sauvignon ganhou um estatuto maior.

Quinta de D. Carlos

Quinta de D. Carlos

Para quem prefere a paisagem idílica, que tal a nova unidade de alojamento instalada no sopé da serra de Montejunto? Chama-se Sóis Montejunto Eco Lodge, é constituído por oito domos geodésicos, dos quais quatro estão destinados a famílias e outro tanto a casais. Todos têm casa de banho e kitchnette equipada com o essencial, para um fim de semana ou umas férias subordinadas ao descanso. Acorde, pela manhã, com um pequeno-almoço à medida e vista privilegiada, em forma de anfiteatro, para esta extensão montanhosa. Aproveite a sauna e o jacuzzi, sem descurar a piscina exterior, se o tempo estiver de feição, e parta à descoberta do que esta terra tem para dar. Prove os queijos da serra de Montejunto e junte o pão acabado de cozer, feito com cereais moídos nos moinhos da vizinhança. Experimente o mel local e o azeite dos olivais da região. Acompanhe com um garrafa de vinho de produtores de Alenquer e outros da região dos Vinhos de Lisboa. Explore a Natureza, que rodeia Sóis Montejunto Eco Lodge (Caminho do Fole, Alequer. Tel. 263789105).

SÓIS Montejunto Eco Lodge

SÓIS Montejunto Eco Lodge

O Boa Cama Boa Mesa realizou este roteiro enoturístico a convite dos Vinhos de Lisboa e da Câmara Municipal de Alenquer.

Acompanhe o Boa Cama Boa Mesa no Facebook, no Instagram e no Twitter!