Opinião sem cerimónia

A Rainha da decência e a tradição do Deputado refém

Duarte Marques

Duarte Marques

Ex-deputado do PSD

13 setembro 2022 10:09

Relação entre o Parlamento inglês e a família real tem as suas peculiaridades que a distinguem das demais. Entre elas está a incrível tradição do “held hostage” que tem passado bastante despercebida dos média nacionais

13 setembro 2022 10:09

A vida de Isabel II não dava só um filme, deu sim vários, muitas séries, muitos livros e continuará a dar por muitos e bons anos. Através da sua vida é possível perceber quase todos os momentos relevantes dos séculos XX e XXI. E o seu sentido de humor só tem paralelo nas diversas tradições inglesas como a do “held hostage” que abaixo transcrevo.

Se fosse possível resumir a imagem pública da Rainha Isabel II numa só palavra eu diria: decência. Apesar do seu longuíssimo reinado de 70 anos, a Rainha britânica construiu uma imagem ímpar, não apenas junto dos seus súbditos, mas em todos os cantos do planeta. Apesar de todos os problemas pessoais, familiares e políticos com que se deparou, Isabel II transmitiu sempre uma imagem e uma postura de enorme simpatia, seriedade e sobretudo uma grande decência. É notável, e provavelmente irrepetível, a forma como praticamente todos os países, todos os noticiários e provavelmente quase todas as conversas entre amigos dos últimos dias se focaram na morte da Rainha e na sua sucessão por Carlos III. Num mundo cada vez mais Republicano, a monarquia inglesa tem sido para muitos uma espécie de “Museu” vivo da realidade que muitos de nós já não conhecemos.

Curiosamente ou não, apesar de toda a tradição e importância dos nobres e das famílias reais, quer no Reino Unido quer em Espanha, tal como na Bélgica ou na Suécia, continuam a ser os órgãos políticos escolhidos pelo povo a tomar as mais importantes decisões.

Note-se que a sucessão e subida ao trono do Rei Carlos III só se torna efetiva após a aprovação do Parlamento britânico. Num tempo em que surgem cada vez mais dúvidas sobre as monarquias é notável verificar que estas se adaptaram à evolução democrática e passaram do poder absoluto para o escrutínio e dependência parlamentar.

Mas esta relação entre o Parlamento inglês e a família real tem as suas peculiaridades que a distinguem das demais. Entre elas está a incrível tradição do “held hostage” que tem passado bastante despercebida dos média nacionais. Esta tradição tem origem no séc. XVII quando o Rei Carlos I foi condenado à morte e executado por traição. Desde então, sempre que o Monarca ou um seu representante se desloca às Houses of Parliament, um membro do Parlamento britânico é escolhido e enviado para o Palácio Real para garantir a “safe return” do Rei ou Rainha. Esse Deputado não pode sair até que o discurso real termine. A tradição é levada a sério se bem que nos tempos mais recentes o “escolhido” pode “beber chá, um gin” e assistir com os restantes membros seniores do Palácio ao discurso que está a ser proferido no Parlamento. Para saber mais sobre esta incrível tradição que parece saída de um episódio dos Monty Python consultem o site Royal Central ou o site do próprio Parlamento inglês. O “Insider” publicou também este conjunto de testemunhos sobre o assunto.