Blitz

Vendas de discos em vinil ultrapassaram o CD pela primeira vez desde 1987

Vendas de discos em vinil ultrapassaram o CD pela primeira vez desde 1987
Getty Images

O tempo volta para trás? Há 35 anos que o vinil não suplantava o CD

As vendas de discos em vinil ultrapassaram as de CD pela primeira vez desde 1987, facto que se verifica nos Estados Unidos e no Reino Unido, dois dos três maiores mercados de música em todo o mundo.

Um relatório da Associação Americana da Indústria de Gravação (RIAA) mostra que, em 2022, foram vendidos mais de 41 milhões de discos em vinil, contra 33 milhões em CD. No total, o vinil representou lucros na ordem dos 1,12 mil milhões de euros.

A indústria musical está a passar por uma boa fase, com a venda física de discos a ter alcançado lucros de 14,81 mil milhões de euros. A RIAA registou um crescimento das vendas de música em formato físico na ordem dos 6%, em comparação com 2021.

A tendência do mercado para a música em formato físico é crescente, com o vinil a ter a sua quota parte de responsabilidade: as vendas neste formato cresceram 17%, com o CD a ter caído 18%.

Os downloads digitais também continuam em queda, representando agora 3% das vendas de música. O streaming continua a ser o formato preferencial dos consumidores, representando 84% do total dos lucros.

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: blitz@impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas