Blitz

Paulo de Carvalho responde a acusações de Luís Osório: "Estou de consciência tranquila, mas o eco nas redes sociais tornou-se insuportável"

23 janeiro 2023 11:30

rita carmo

A propósito da edição da biografia de Paulo de Carvalho, o jornalista Luís Osório teceu críticas à forma como o cantor teria tratado o seu pai, que foi seu agente. Paulo de Carvalho responde em comunicado, considerando que as acusações são “calúnias. Nem foi despedido, nem jamais o estigma de uma doença seria motivo para me afastar de quem quer que fosse"

23 janeiro 2023 11:30

A propósito da edição recente da biografia de Paulo de Carvalho, “60 Anos de Cantigas”, o jornalista Luís Osório lamentou, nas suas redes sociais e na crónica que publica regularmente na rádio TSF, que o cantor não faça, naquele livro, referência ao seu pai, José Manuel Osório, que trabalhou como seu agente. Luís Osório acusa ainda Paulo de Carvalho de ter despedido o seu pai, falecido em 2011, quando este lhe deu a conhecer o seu diagnóstico de SIDA. À luz deste alegado facto, o cronista concluiu: “É pornográfico dizer que Paulo de Carvalho é generoso e solidário”.

Agora, em comunicado, Paulo de Carvalho respondeu, considerando ter sido “vítima de graves calúnias. Lamento que Luis Osório invoque a memória do seu Pai – de quem fui amigo – para, sem jamais ter procurado confrontar-me com os ‘factos’, lançar sobre mim uma mentira infame. A qual repudio com a mesma intensidade com que me chocou.”

“Fui eu quem acompanhou o José Manuel Osório durante a doença, confirmada no Instituto Ricardo Jorge, levando-o ao Prof. Machado Caetano. E, nos anos seguintes, continuou a trabalhar comigo e apenas por sua livre vontade essa colaboração chegou ao fim. Nem foi despedido, nem jamais o estigma de uma qualquer doença seria motivo para me afastar de quem quer que fosse. Estou de consciência plenamente tranquila”, escreve Paulo de Carvalho, explicando ainda: “Pensei deixar passar a ofensa e permanecer em silêncio. Infelizmente, o eco nas redes sociais tornou-se insuportável, acabou por atingir a minha família e tornou inevitável este desmentido. Se estou a responder é só para me defender da forma como me acusa. Essa sim, ‘pornográfica’.”

A este comunicado, Luís Osório já respondeu, afirmando ter estado em contacto com as irmãs do pai sobre este assunto. “Se Paulo de Carvalho desejar, que me processe por difamação do seu bom nome. Terei gosto em esclarecer o tribunal e levar comigo toda a família direta, todos os que em casa presenciaram o estado de abandono, de sofrimento e de raiva do meu pai. Eu tinha 19 anos. Era muito jovem, mas felizmente ainda existem duas irmãs e a Teresa. Elas poderão confirmar e acrescentar o que não escrevi para salvaguardar o que Paulo de Carvalho representa como músico.”

No seu post inicial, Luís Osório escreveu que, para o seu pai, Paulo de Carvalho “era uma espécie de Deus na terra. Durante muito tempo - muito mais do que dez anos - foi o seu agente. Vendia os seus espetáculos. Organizava viagens, técnicos, agendas e vontades. Fazia acontecer. Empenhou-se e esvaziou o seu talento em função do talento do Paulo de Carvalho.” Depois de alegadamente terminar a relação de trabalho de forma “fria e implacável”, o cantor terá deixado o antigo agente “com uma mão à frente e outra atrás. Sem indemnização e quase sem dinheiro. Foi a única vez que o vi chorar ao pé de mim. De desespero, mas também de desilusão pelo homem a quem dedicara os melhores anos da sua vida.”