Blitz

Rave ilegal de seis dias em Espanha foi “magnificamente organizada”, diz presidente da Câmara. Só que ninguém sabe quem a organizou

6 janeiro 2023 12:01

6 mil pessoas acorreram a uma rave numa vila da Andaluzia com uma população de 1200, que decorreu de 30 de dezembro a 4 de janeiro à revelia das autoridades. “Até tinham uma padaria, uma pizzaria, lojas de roupa, tudo. Se soubesse quem eles eram, contratava-os para as festas da aldeia”, afirma o presidente da Câmara da localidade

6 janeiro 2023 12:01

Uma rave ilegal levou cerca de seis mil pessoas a uma pequena aldeia em Espanha, na semana da passagem de ano. Apesar de não se saber quem organizou o evento, o seu impacto para a região - La Peza fica na província espanhola da Andaluzia, a norte do Parque Natural da Sierra Nevada e a 38 quilómetros de Granada - foi enaltecido pelo autarca local.

A rave aconteceu de 30 de dezembro a 4 de janeiro, com sete palcos e numerosos espaços comerciais, fazendo com que à localidade espanhola acorressem visitantes de outras regiões do país, mas também de Itália e dos Países Baixos. La Peza, noticia o jornal inglês “The Guardian”, tem uma população de 1200 pessoas que, nos dias da rave, ultrapassou temporariamente os seis mil.

A mesma fonte diz que as autoridades garantem que, à exceção de alguns pequenos incidentes, o evento correu de forma pacífica. Contudo, o mistério permanece: como foi possível organizar uma festa desta dimensão sem aviso ou pedidos de autorização para uso de terrenos municipais?

Esta é uma questão que não parece preocupar o autarca de La Peza. “Sinceramente, se soubesse quem tinha organizado isto, contratava-os para organizarem as nossas festas da aldeia. A organização foi magnífica. Parecia uma pequena cidade. Até tinham uma padaria, uma pizzaria, lojas de roupa, pessoas a fazer trancinhas no cabelo… tudo!”, elogiou Fernando Álvarez, surpreendido, também, com a rapidez com que tudo foi montado. “Admitimos que este incidente nos deu alguma publicidade e colocou-nos no mapa. Se alguém nos quiser visitar, cá ficaremos à vossa espera. Mas, se calhar, não venham às cinco mil pessoas de uma vez.”

O “The Guardian” avança ainda que as autoridades locais concluíram que seria mais seguro controlar as entradas na rave do que enviar todos os seus frequentadores para casa.

Veja aqui a reportagem da TVE sobre a rave misteriosa: