Blitz

“Parte do imaginário do Bruno Aleixo advém das nossas infâncias nos anos 80. O meu irmão diz-me que o Bruno fala como uma das nossas avós”

27 dezembro 2022 14:30

“[Eu e o Pedro Santo] passámos a infância em Leiria e Coimbra, e também temos uma vivência rural. Cidade pequena, final dos anos 80: é sempre mais autêntico fazermos assentar o conteúdo nas nossas próprias experiências”, afirma João Moreira, co-argumentista do filme “O Natal do Bruno Aleixo”, protagonizado por uma das personagens mais idiossincráticas do humor português dos últimos 15 anos. Para ouvir no podcast Posto Emissor

27 dezembro 2022 14:30

Quase 15 anos depois de surgir em cena como um cometa no humor nacional, Bruno Aleixo chega pela segunda vez ao cinema, agora revivendo Natais do seu passado não isentos de peripécias e contrariedades, entre “prendas manhosas e péssimas refeições”. João Moreira, o seu criador e, com Pedro Santo, um dos argumentistas do filme “O Natal do Bruno Aleixo”, é o convidado do último Posto Emissor de 2022.

No podcast da BLITZ, Moreira garante que uma parte do ‘universo Aleixo’ se baseia em experiências do passado dos seus criadores. “Grande parte deste imaginário advém dos nossos imaginários pessoais. [Eu e o Pedro Santo] passámos as nossas infâncias em cidades pequenas, Leiria e Coimbra. E temos uma vivência rural. Cidade pequena, final dos anos 80: é sempre mais autêntico fazermos assentar o conteúdo nas nossas próprias experiências. O meu irmão ainda me ontem me disse que o Bruno fala igual a uma das nossas avós”, conta Moreira.

Ouça a resposta completa no Posto Emissor, a partir dos 15 minutos e 26 segundos: