Blitz

Ucrânia diz que o exército russo matou maestro por este se recusar a dar concerto nos territórios ocupados

Yuriy Kerpatenko
Yuriy Kerpatenko
Facebook

Segundo informação avançada pelo Ministério da Cultura da Ucrânia, o maestro ucraniano Yuriy Kerpatenko recusou-se a participar num concerto em Kherson, sua cidade-natal, e terá sido assassinado pelas tropas russas

O exército russo terá assassinado um músico ucraniano, que se recusou a participar de um concerto para fins de propaganda, na cidade ocupada de Kherson, de acordo com informação avançada pelo Ministério da Cultura da Ucrânia e noticiada pelo jornal inglês “The Guardian”.

Yuriy Kerpatenko, natural de Kherson, terá recusado participar num evento com o objetivo de demonstrar “a melhoria da vida pacífica” na cidade. Kerpatenko era o maestro da orquestra Gileya, que participou no espetáculo, e vinha publicando mensagens contra a ocupação russa desde o mês de maio, nas redes sociais. Os seus familiares perderam contacto com o músico em setembro.

As autoridades ucranianas iniciaram uma investigação ao que consideram ser “um crime de guerra”, e vários músicos internacionais lamentaram e condenaram o sucedido.

No mesmo jornal pode ler-se que Dalia Stasevska, maestrina finlandesa de origem ucraniana, apelou aos seus colegas russos para que “deem um passo em frente e condenem as ações do regime russo”. Já o maestro Semyon Bychkov, que abandonou a URSS nos anos 70, descreveu tais atos como “genocídio puro”.

Tem dúvidas, sugestões ou críticas? Envie-me um e-mail: clubeexpresso@expresso.impresa.pt

Comentários

Assine e junte-se ao novo fórum de comentários

Conheça a opinião de outros assinantes do Expresso e as respostas dos nossos jornalistas. Exclusivo para assinantes

Já é Assinante?
Comprou o Expresso?Insira o código presente na Revista E para se juntar ao debate
+ Vistas