Blitz

Banda russa envolvida em confrontos após concerto no Porto

16 setembro 2022 16:25

fb

Elementos da banda Moscow Death Brigade são acusados de terem esfaqueado duas pessoas, com um x-ato, após um concerto no Porto no passado domingo. No Facebook, um dos músicos garante que a banda é que foi vítima de agressões. Responsável da sala já reagiu

16 setembro 2022 16:25

Os membros da banda Moscow Death Brigade, um grupo russo de hip-hop e punk hardcore, foram acusados de agredir dois homens no final do concerto que deram no Porto, no passado fim de semana.

Segundo o “Jornal de Notícias”, a PSP confirma que duas pessoas - uma de 51 anos e outra de 32 - sofreram ferimentos causados por um x-ato, ao início da noite, junto à sala Barracuda. As autoridades vão agora apurar se os membros da banda estiveram envolvidos no ataque.

Na sua página de Facebook, um dos membros da banda, que assina como Boltcutter Vlad, garante que ele e outro membro do grupo é que foram vítimas de um ataque “por motivos ridículos”, ainda durante o concerto, e que o ataque terá sido levado a cabo por um grupo de pessoas em que havia um membro “da extrema-direita ligado ao futebol”.

“Sofremos ferimentos graves e um de nós teve de ficar no hospital”, escreve o russo, acusando a promotora do espetáculo de não ter contratado segurança para o mesmo. “Levámos murros, pontapés na cabeça, atiraram-nos garrafas”, escreve Boltcutter Vlad, explicando que as agressões começaram quando a banda pediu ao público que não se fumasse na sala.

Formados em 2007, os Moscow Death Brigade atuam, à semelhança das Pussy Riot, com balaclavas, e assumem-se como uma banda antifascista e antirracista. Tomaram posições públicas contra o sexismo e a homofobia. Em abril de 2022, iniciaram uma campanha de venda de merchandising para apoiar a "Taxi for Solidarity", organização voluntária que ajuda os refugiados da Ucrânia no contexto da invasão russa.

Veja aqui a mensagem dos Moscow Death Bridage:

Contactado pela BLITZ, o responsável da sala onde o concerto se realizou, Rodas, remete para um post publicado no Facebook do bar, no qual se pode ler um extenso relato do que terá, de acordo com os responsáveis do Barracuda, acontecido naquela noite. De acordo com o que se apresenta como “um testemunho de quem realmente viu o que se passou”, terá sido um dos membros dos Moscow Death Brigade a agredir um elemento do público, tendo os responsáveis da sala optado por fechar a mesma, deixando a banda dentro e o público fora da mesma, para que os confrontos não tomassem maiores proporções.