Blitz

Estado de contingência não afeta Super Bock Super Rock

rita carmo

A declaração do estado de contingência, devido às temperaturas elevadas e aumento do risco de incêndio, implica a proibição de realização de trabalhos em espaços florestais. Mas o Super Bock Super Rock, que acontece na Herdade do Cabeço da Flauta, no Meco, não estará em risco, acreditam a organização e a autarquia de Sesimbra

11 julho 2022 12:00

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Miguel Cadete

Miguel Cadete

Diretor-Adjunto

O estado de contingência decretado pelo Governo até à próxima sexta-feira, 15 de julho, não deverá afetar a realização do festival Super Bock Super Rock, marcado para os dias 14, 15 e 16 de julho, na Herdade do Cabeço da Flauta, junto ao Meco, no concelho de Sesimbra.

Portugal continental entrou esta segunda-feira em estado de contingência, devido às previsões meteorológicas dos próximos dias, que apontam para temperaturas muito elevadas e consequente agravamento do risco de incêndios rurais. A declaração do estado de contingência deverá terminar às 23h59 de sexta-feira, mas, como indicou o Ministério da Administração Interna (MAI), poderá “ser prolongada caso seja necessário”.

A situação de contingência proíbe o acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, assim como a realização de trabalhos nesses mesmos espaços com qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados ao combate a incêndios rurais. Também está interdita a utilização de fogo de artifício ou outros artefactos pirotécnicos. Está expressamente proibido "o acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais, previamente definidos nos planos municipais de defesa da floresta contra incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem". O alerta vermelho vigora em todos os distritos de Portugal Continental.

O festival Super Bock Super Rock realiza-se numa zona arborizada, nomeadamente no espaço reservado ao parque de campismo. À BLITZ, Luís Montez, diretor da Música no Coração, promotora do Super Bock Super Rock, garante que as montagens do festival já estão prontas e que o recinto foi limpo há um mês. E sossega os festivaleiros: "temos um grande dispositivo de bombeiros e viaturas, unidade de Proteção Civil, GNR e segurança privada. Estamos junto ao mar e à Lagoa de Albufeira. Neste momento, estão 26 graus. Não usamos fogo e muito menos de artifício", assegura. Acrescentou ainda que, nesta segunda-feira, já está a ser descarregado o equipamento de som e luz necessário para os quatro palcos do festival.

Contactada pela BLITZ, fonte da Proteção Civil remeteu explicações para a organização do festival e para o município, responsável pelas autorizações necessárias para que o festival se realize. Esta, através do seu gabinete de comunicação relacionado com questões de proteção civil, garantiu não existir qualquer indicação para o cancelamento do festival, estando os devidos meios de proteção acionados para qualquer ocorrência, aguardando, no entanto, "o evoluir da situação".

Perante o agravamento do risco, tanto o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, como o Primeiro-ministro, António Costa, cancelaram as viagens ao estrangeiro marcadas para estes dias. Marcelo Rebelo de Sousa alertou para um "pico" de incêndios a partir desta terça-feira, garantindo que os avisos "não são um exagero" apelando a um "esforço coletivo" para prevenir incêndios, tendo em conta "as lições que temos do passado.

Assinalou, também, a necessidade de condicionar alguns festejos e eventos, após a reunião que manteve em Carnaxide, no domingo, com a Proteção Civil e o ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro. Este apelou aos portugueses, em conferência de imprensa, para "não usar o fogo e não usar máquinas nos trabalhos agrícolas ou florestais". Esse será "o mais importante contributo que podem dar aos bombeiros portugueses e que podem dar para a nossa segurança coletiva”. Palavras igualmente proferidas por António Costa logo no sábado.